Conheça o Universitatea Craiova

Craiova

Fundada no Século XIV, Craiova é uma cidade romena e a capital do distrito de Dolj, na região histórica da Oltênia, no sudoeste romeno. Além de Dolj, há outros 41 distritos romenos, e além da Oltênia, existem as regiões Muntênia, Dobrogea, Moldávia, Bucovina, Maramures, Transilvânia, Crisana e Banat. O município possui cerca 270 mil habitantes (o sexto maior da Romênia) e sua região metropolitana, 420 mil. É uma das cidades mais importantes do país e a mais importante da Oltênia, tendo como principal atividade econômica o comércio.

Gênesis

Em 1921, quando o campeonato romeno de futebol já estava sendo disputado há 12 anos (desde 1909), e com algumas equipes já figurando entre as mais tradicionais do país, a cidade de Craiova teve os seus primeiros clubes de futebol: Rovine Grivita e Craiovan. Nenhum dos dois conquistou grandes feitos a nível nacional, até o ano de 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, quando os dois se fundiram e formaram o FC Craiova, com as cores vermelho, branco e preto. O novo time chegou a ser campeão nacional na temporada 1942-43, mas o título não é reconhecido pela Federação Romena de Futebol em função da guerra. Em 1949, o clube acabaria extinto, após rebaixamentos e fracos desempenhos desde o rebaixamento em 1946-47.

Fundação e o acesso à primeira divisão

Um ano antes da extinção do FC Craiova, em 5 de setembro de 1948, um grupo de estudantes e professores da Universidade de Craiova (Universitatea din Craiova, em romeno), fundaram o Clubul Sportiv Universitar Craiova, então pertencente à Associação Nacional de Estudantes da Romênia (Asociației Naționale a Studenților din România – ANSR).

Aqui, vale lembrar que na Romênia comunista os clubes de futebol quase sempre pertenciam às instituições do país, que eram estatais. Politehnica Timisoara, Universitatea Craiova e Universitatea Cluj eram times de universidades; Steaua e Dinamo, ambos da capital Bucareste, pertenciam ao Exército e à polícia nacional, respectivamente. Rapid Bucareste e CFR Cluj pertenciam às companhias ferroviárias; UT Arad era da indústria têxtil, e assim sucessivamente.

Em 1950, o Universitar Craiova mudou seu nome para Stiinta (literalmente “Ciência”) Craiova. Com este nome, foi o campeão da terceira divisão romena, em 1957-58, e da segunda em 1963-64, quando finalmente teve a oportunidade de estar na divisão principal da Romênia. Só em 1966 o original Clubul Sportiv Universitar Craiova teria o nome pelo qual é mais conhecido: Universitatea Craiova. O nome antigo, Stiinta, ficou como apelido. E um ano depois, seria fundado o Estádio Central de Craiova, com quase 30 mil lugares.

O auge

O Craiova Maxima, melhos time da história do clube
A Craiova Maxima era o melhor time da Romênia

A partir daí, o clube passou a colecionar desempenhos marcantes nos campeonatos nacionais e até mesmo nos Europeus, tradicionalmente dominados pelos clubes da Europa ocidental. O maior artilheiro da história do time, Ion Oblemenco, com 167 gols, foi revelado nesta época, nos anos 60. Após sua morte por infarto em 1996, quando era técnico no Marrocos, Estádio Central foi rebatizado, tornando-se o Estádio Ion Oblemenco.

Da década de 70 até a de 80, o Universitatea Craiova chegou ao auge. O momento mais importante da história da “Stiinta” foi na temporada 1982-83. Naquela época, o clube já estava entre os grandes do país, com campanhas na primeira metade das tabelas, incluindo três títulos do Campeonato Romeno (Liga I), em 1973-74, 1979-80 e 1980-81 e três da Copa da Romênia, em 1976-77, 1977-78 e 1980-81, esta última com uma goleada histórica por 6×0 sobre a Politehnica Timișoara na final.

Na temporada 1982-83, o Universitatea Craiova foi o primeiro clube romeno a chegar nas semifinais da Copa da UEFA (atual Liga Europa). Eliminou Fiorentina, Shamrock Rovers (Irlanda), Bordeaux e Kaiserslautern (sendo com isso o primeiro clube romeno a eliminar um alemão em uma competição oficial) em partidas históricas. A equipe só foi cair nas semifinais, contra o Benfica. Um 0x0 em Lisboa e um 1×1 em Craiova definiram a classificação da equipe portuguesa por critério de gols fora de casa.

Ilie Balaci é um dos maiores ídolos da história do Craiova
Ilie Balaci é um dos maiores ídolos da história do Universitatea Craiova

Toda a Romênia torcia para aquela equipe de futebol aguerrido e técnico que era o Universitatea Craiova. Um de seus principais apelidos foi conquistado lá: “Campioana Unei Mare Iubiri” (“A Campeã de Um Grande Amor”), por ter sido tratado como “campeão moral”, pela imensa torcida que o clube agregou por todo o país. Além disso, esta geração foi a base da primeira seleção romena a participar em uma Eurocopa, em 1984. Ilie Balaci (o Milagre Loiro), Nicolae Negrila, Silviu Lung, Rodion Cămătaru, Costică Ştefănescu (o Ministro da Defesa), Zoltan Crişan, Ion Geolgău, Aurică Beldeanu, Costică Donose e Sorin Cârțu eram alguns dos grandes jogadores que participaram desta campanha de 1982-83, cuja geração também ficou conhecida como Craiova Maxima.

Os últimos títulos e a privatização

Em 1991, após o Universitatea Craiova ter conquistado a Liga I e a Copa da Romênia, já fazia quase dois anos desde o fim do Comunismo de Nicolae Ceausescu no país. Assim, todos os clubes, que eram até então estatais e possuíam o prenome Clubul Sportiv (por serem poliesportivos) deveriam ser privatizados, à medida em que as instituições das quais eles faziam parte não conseguiam mais mantê-los. Muitos deles, inclusive o Steaua Bucareste, maior do país, mantiveram os outros esportes sob a manutenção das autoridades dos municípios e distritos e privatizaram apenas o futebol. Foi o que aconteceu com o Universitatea Craiova. O departamento de futebol se separou do resto do clube. Assim, o time de futebol do Clubul Sportiv (CS) Universitatea Craiova se tornava o Fotbal Club (FC) Universitatea Craiova, dando continuidade ao clube de 1948. Muitos outros clubes tomaram a mesma medida. Uma razão social foi feita, e o Universitatea Craiova seguiu, a grosso modo, como uma empresa e com proprietários. Em 1992-93, o time conquistou seu último título, o da Copa da Romênia.

Depois,o U Craiova passou a ser um time de meio de tabela ainda que revelasse grandes jogadores para o continente europeu, como o lateral-esquerdo campeão mundial de clubes em 2010 com a Internazionale de Milão, Cristian Chivu, em 1998-99, após ter saído do CSM Resita.

A Era Mititelu e a extinção

Em 2004, após uma pesada crise administrativa, o clube foi comprado pelo empresário Adrian Mititelu. Logo na primeira temporada, já houve o primeiro rebaixamento da história do clube, com o último lugar entre os 16 times da temporada 2004-05 da Liga I. O clube voltou à elite na temporada seguinte com o título da Liga II, mas ainda não conseguia voltar aos seus tempos áureos.

2008-09 foi uma temporada atípica. O Universitatea Craiova, liderado pelo artilheiro Florin Costea, estava muito perto de retornar à Liga Europa, torneio no qual fez história nos anos 80 com a geração Craiova Maxima. Esta temporada é até hoje contestada pelos torcedores da Stiinta; Isto porque inúmeros erros escandalosos de arbitragem impediram a equipe de chegar ao sexto lugar do campeonato para alcançar a última vaga para o torneio continental, que acabou ficando para o Steaua Bucareste. O sétimo lugar daquele ano foi o melhor que o time havia conquistado em muito tempo.

A Era Mititelu simboliza o pior momento já vivido pelo clube
A Era Mititelu simboliza o pior momento já vivido pelo clube

O FC Universitatea Craiova chegou ao 15º lugar em 2010-11, sinônimo do segundo rebaixamento em sua história, o segundo em 6 anos, o segundo na gestão Mititelu. Porém, ao final da temporada, em 20 de julho de 2011, a Federação Romena de Futebol decidiu excluir o Universitatea Craiova, porque o clube não retirou um processo contra o ex-técnico Victor Piturca na justiça comum. Piturca queria o pagamento da cláusula da rescisão do seu contrato, no valor de 7 milhões de Euros. Conforme o artigo 57 do estatuto da FRF, a Federação tem jurisdição sobre todas as questões jurídicas de esportes. Adrian Mititelu não retirou o processo e assim o clube foi extinto, com a confirmação na Assembleia Geral da FRF em 14 de maio de 2012. Todos os jogadores da equipe tiveram os contratos rescindidos a custo zero e foram obrigados a assinar com outros clubes para continuar suas carreiras. O prejuízo ficou avaliado em quase 30 milhões de euros. Centenas de milhares de torcedores ficaram sem sem o time do coração.

Em 22 de outubro de 2011, a Direção Nacional Anticorrupção (DNA) iniciou uma investigação contra os dirigentes da Liga de Futebol Profissional da Romênia (LPF) e da FRF, com acusações oficiais de erro de conduta grave e abuso de poder ao decidir a extinção do Craiova. O DNA fez confisco de bens de vários cartolas da FRF e da LPF, como os seus respectivos presidentes Mircea Sandu e Dumitru Dragomir. Em 22 de junho de 2012, a Corte de Recursos Judiciais de Bucareste estabeleceu que a exclusão do Universitatea Craiova da FRF é ilegal.

Ainda em 2011, a então candidata à prefeitura de Craiova, Lia Olguta Vasilescu, do Partido Social-Democrata da Romênia (PSD), se aliou a Adrian Mititelu e, em sua campanha eleitoral, prometeu fazer o FC Universitatea Craiova voltar a existir. Além disso, uma das promessas de Vasilescu era demolir o Estádio Ion Oblemenco, que estava abandonado, para construir uma moderna arena, nos moldes da UEFA e da FIFA. Lia Olguta Vasilescu venceu as eleições é é a prefeita da cidade desde novembro de 2012.

Desde a extinção, torcedores organizaram uma série de protestos em Craiova e em Bucareste, na sede da FRF, agregando milhares de pessoas e reivindicando o retorno imediato da Stiinta às competições. Um torcedor chegou a tentar suicídio do alto de uma das torres de refletores do Estádio Ion Oblemenco, no início de 2013. Os torcedores Ultras do clube foram mais longe e criaram o Justice for Craiova, movimento que além dos protestos na rua, promoveu invasões aos gramados nos jogos de futebol, incluindo jogos da Seleção Romena e jogos válidos pela Champions League e Liga Europa, como a partida entre Chelsea e Steaua Bucareste em 2013, no Stamford Bridge, em Londres. Após a pressão popular que sofria as instituições reguladoras do futebol romeno, o FC Universitatea Craiova pôde voltar às competições em 2013.

A Guerra Civil de Craiova: FC Universitatea x CS Universitatea

Em 2013, o FC Universitatea Craiova conseguiu na justiça o direito de voltar às competições. No entanto, a agora prefeita de Craiova, Lia Olguta Vasilescu e Adrian Mititelu romperam a parceria que tinham e se tornaram fortes inimigos. Em vez de Vasilescu ajudar na volta do FC U Craiova, ela se aliou com os investidores Adrian Andrici e Mihai Rotaru, criando o CS Universitatea Craiova, em julho de 2013.

O CS Universitatea Craiova se autoproclama detentor de todos os títulos e história do time original fundado em 1948 até 1991, considerando o FC Universitatea Craiova um clube criado logo após a privatização e a separação entre o time de futebol do resto do clube poliesportivo. O time apoiado por Lia Olguta Vasilescu também afirma ter o aval do clube poliesportivo e da própria Universidade de Craiova.

Apesar disso, torcedores do próprio CS Universitatea Craiova discordam em seus argumentos. Há uma linha de pensamento que defende que o FC Universitatea Craiova “deixou” de ser o legítimo quando mudou sua razão social em 2006, ou seja: se extinguiu e fundou-se outro de mesmo nome. Outros torcedores defendem que foi em 1994, e outros ainda entre 1991 e 1993, o que daria ao FC Universitatea Craiova um título da Copa da Romênia (1992-93) e deixaria o clube legítimo CS Universitatea Craiova com os outros cinco. O clube partilha desta visão das cinco Copas.

Um dos argumentos do CS U Craiova é também o fato de Adrian Mititelu ter alterado fundado novas razões sociais para o FC U Craiova à medida em que o clube tinha uma crise financeira grave e precisava se reorganizar. Na visão do CS U Craiova, novos clubes eram fundados a cada vez que isto acontecia, a última delas em 2013.

Com a chegada do CS U Craiova, a Prefeitura da cidade boicotou o time de Adrian Mititelu, despejando-o do estádio Ion Oblemenco. Muitos dos ídolos, que eram desprezados por Mititelu, abraçaram o projeto e lá trabalham até hoje, como os ex-jogadores Silviu Lung, Sorin Cârtu, Ion Geolgau e Emil Sandoi. O FC U Craiova se tornou um clube itinerante, buscando lugar para treinar e com jogadores que nunca foram pagos até hoje, dependendo apenas da solidariedade de seus atletas para entrar em campo. Mititelu, endividado, não conseguiu manter o FC U Craiova, que acabou mais uma vez, em março de 2014. Os torcedores, que a princípio estavam extremamente resistentes com o CSU, passaram a admitir o clube e a trocar de lado, tornando a divisão de torcida bastante acirrada.

O CS Universitatea Craiova é atualmente apoiado por seus torcedores e por minorias da imprensa. Torcedores de outros clubes, jornalistas, jogadores, técnicos, dirigentes e ex-jogadores não adotam a tese de que o CS Universitatea Craiova que foi implementado em 2013 seja a refundação do legítimo clube fundado em 1948. Torcedores de clubes como Universitatea Cluj e Dinamo Bucareste se manifestaram  contra o CSU em partidas disputadas contra o clube em 2014.

O FC Universitatea Craiova e seus seguidores não concordam com o argumento do CSU, considerando-o um time criado como manobra política e de forma ilegal. Isto porque o time começou a temporada 2013-14 direto da segunda divisão romena, como “indenização” concedida pela Federação Romena de Futebol à cidade de Craiova por causa da extinção de 2011. No entanto, os únicos ídolos que defendem o FCU são Ilie Balaci, maior ídolo vivo do futebol de Craiova e um dos três maiores da história da Romênia, e o ex-volante Aurel Ticleanu.

CS Universitatea Craiova e FC Universitatea Craiova chegaram a se enfrentar na segunda divisão romena em duas oportunidades. As duas partidas terminaram em zero a zero. A segunda, no Estádio Ion Oblemenco, lotou o estádio com a grande maioria dos torcedores, apesar de o rival ser o mandante. O CSU conquistou o título da Liga II em 2013-14 e disputa a Liga I em 2014-15. O FCU não existe mais, e uma cooperativa de torcedores tenta refundá-lo, a exemplo do que acontece com outras equipes na Romênia que já foram extintas.

 

 

 

 

 

Títulos do Universitatea Craiova:
4 Campeonatos Romenos (Liga I): (1973-74, 1979-80, 1980-81, 1990-91)
6 Copas da Romênia (1976-77, 1977-78, 1980-81, 1982-83,  1990-91, 1992-93)
2 Liga II (1963-64, 2005-06)
1 Liga III (1957-58)
Campanhas de destaque:
Primeiro clube de futebol da Romênia a se classificar para as quartas-de-final da Champions League (1981-82)
Primeiro clube de futebol da Romênia a eliminar um clube alemão (Kaiserslautern) e um inglês (Leeds United) em competições.
Primeiro clube de futebol da Romênia a chegar às semifinais da Copa da UEFA (atual Liga Europa) (1982-83)
5 vezes vice-campeão da Liga I (1972-73, 1981-82, 1982-83, 1993-94, 1994-95)
7 vezes terceiro lugar da Liga I (1966-67, 1974-75, 1976-77, 1983-84, 1985-86, 1989-90, 1992-1993)
5 vezes vice-campeão da Copa da Romênia (1974-75, 1984-85, 1993-94, 1997-98, 1999-00)

Participou 4 vezes da UEFA Champions League
Participou 13 vezes da Copa da UEFA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s