Como funciona o Romenão?

Quem cai de paraquedas no futebol romeno pode não entender como, faltando poucas rodadas para o fim, um time pode ser líder com 44 pontos, por exemplo. Ou não faz ideia do por que o terceiro colocado não foi à Liga Europa, mas o sexto colocado foi.

O Campeonato Romeno (ou Romenão, para quem quer ser íntimo ou já é) era disputado, de 2006 a 2015, com 18 equipes, que jogavam todos contra todos em turno e returno, na tradicional fórmula de pontos corridos. Com diversos times de tradição à beira do colapso ou de fato falindo, e com o empobrecimento do futebol no país, a Federação Romena de Futebol (FRF) teve a ideia de reduzir a quantidade.

Na temporada 2014-15, seis dos 18 clubes participantes foram rebaixados, todos com tradição: Gaz Metan Mediaș, Brașov, Universitatea Cluj, Rapid Bucareste, Oțelul Galați e Ceahlăul Piatra Neamț. Destes, apenas o Gaz Metan conseguiu um retorno à elite, ficando uma única temporada na segundona. Os outros todos faliram e foram refundados. Da segundona de 2014-15, subiram dois: Voluntari e ACS Poli Timișoara.

Fórmula atual

Desde 2015-16, 14 clubes jogam a primeira fase, todos contra todos, em turno e returno. Ao fim de 26 rodadas, começa praticamente um novo campeonato. Os seis primeiros formam um grupo, os oito últimos formam outro. A pontuação de todos é dividida pela metade (!) Os seis primeiros passam a brigar pelo título e por vagas nas copas europeias. Os oito últimos lutam contra o rebaixamento. Tudo em pontos corridos, em turno e returno.

O regulamento é quase sempre contestado por aqueles que terminam a primeira fase na liderança. Afinal, uma vantagem de quatro pontos para o segundo colocado passa a ser de dois, uma vantagem de seis vira três. Com números quebrados, a vantagem é arredondada para cima.

De qualquer forma, de 2015-16 a 2018-19, quem termina líder na primeira fase acaba conquistando o título. Foi assim com Astra, Viitorul e CFR Cluj (duas vezes). Quem está mais próximo de quebrar a escrita é o Universitatea Craiova, na temporada 2019-20.

No grupo do rebaixamento, os dois últimos caem. O antepenúltimo joga uma repescagem com o terceiro colocado da segunda divisão, em ida e volta. Em 2015-16, a segunda divisão tinha dois grupos, então os segundos melhores de cada grupo jogaram um mata-mata anterior à repescagem.

Copas europeias

Na temporada 2019-20, o campeão vai para a primeira fase preliminar da Champions League. As equipes que completam o pódio vão à Liga Europa. O título da Copa da Romênia completa o quarteto. Se o campeão da copa estiver na zona de classificação pela liga, o melhor colocado na liga ganha a vaga que sobra. A temporada de 2016-17 foi a última que levou dois clubes romenos à Champions League.

Há inúmeros casos de clubes que chegam à zona de classificação, mas não podem se inscrever em nenhuma copa europeia. Isto porque não obtém a licença, já que não estão de acordo com as regras de fair-play financeiro da UEFA. Se um clube está em insolvência financeira (situação bastante comum na Romênia), cede a vaga ao melhor colocado que esteja habilitado.

Em 2019-20, o Astra não recebeu a licença, por questões de infraestrutura do estádio Marin Anastasovici. Recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, na sigla em francês), mas não teve sucesso.


Foto: FCSB/Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s