Budescu mostra por que é o grande nome de sua geração e Romênia vence Cazaquistão por 3×1

A Romênia venceu o Cazaquistão por 3×1 no Estádio Ilie Oană, em Ploiești, pela penúltima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, com dois gols do meia Constantin Budescu. Mesmo já eliminada do Mundial na Rússia, teve fatores importantes para a Romênia: buscar soluções para conquistar a classificação à Eurocopa de 2020 e a estreia do técnico Cosmin Contra, que assumiu o cargo após um período de grave crise com o alemão Christoph Daum. Com o resultado, a Romênia segue na 4ª posição do Grupo E.

Contra não fez grandes invenções, mas foi valente em sua primeira escalação. Dispensou a escalação clichê de Stanciu e optou por iniciar com Budescu. Experimentou Gheorghe “Gicu” Grozav na esquerda. Usou seis jogadores de times nacionais (Budescu, Benzar, Ganea, Pintilii, além de Hoban e Ioniță, que entraram no segundo tempo). E, contra o mais fraco adversário nas eliminatórias, ajudou a Romênia a ter uma das suas melhores atuações no ano. A outra foi contra o Chile, em 13 de junho, 3×2 para os romenos em Cluj-Napoca.

O jogo era, sem dúvida nenhuma, de Constantin Budescu, meia do Steaua/FCSB que fez história no Astra Giurgiu, conquistando quatro títulos em dois anos (um Romenão, uma Copa da Romênia e duas Supercopas). O camisa 14 da seleção foi cortado da seleção romena em 2016, quando havia trocado o Astra pelo Dalian Yifang, da segunda divisão chinesa. Assim, ficou fora da Eurocopa para a qual ajudou a Romênia a se classificar, com dois gols sobre as Ilhas Faroe, na última rodada. Mesmo com o retorno ao Astra e, posteriormente, tendo grandes atuações e sendo o principal craque do maior time do país, o Steaua/FCSB, Budescu acabou sendo deixado de lado também por Christoph Daum. Bastou Cosmin Contra trazê-lo te volta para ele decidir sozinho o jogo contra o Cazaquistão. OK, é só o Cazaquistão, mas o jogo do primeiro turno, em Astana, foi 0x0. E não havia quem desequilibrasse uma partida no “mandato” de Daum. Agora tem Constantin Budescu.

Budescu desfilou classe contra o Cazaquistão (foto: FRF.ro)
Budescu desfilou classe contra o Cazaquistão (foto: FRF.ro)

Budescu só começa a brincadeira aos 32 minutos do primeiro tempo. Tabela com Grozav na ponta esquerda. Chega na linha de fundo, tira um dos zagueiros da jogada ameaçando uma devolução. Dribla o segundo marcador com uma caneta, bate sem ângulo, conta com a falha do goleiro Polatilov. Golaço, no estádio do clube em que começou a carreira, o Petrolul, para a euforia de Cosmin Contra, que conquistou seu primeiro título como treinador no Petrolul.

Não demora cinco minutos para o segundo gol. Agora na ponta esquerda, Budescu dribla um, e no segundo é derrubado na área. Pênalti. O primeiro gol não valeu, o árbitro Sandro Schäerer mandou voltar a cobrança por invasão na área. Budescu troca o lado na segunda cobrança e comemora. 2×0, com os dois gols produzidos em jogadas individuais do craque.

Na segunda etapa, o camisa 11 do Steaua/FCSB ficou distribuindo passes açucarados aos romenos e lotes de canetas de luxo para os cazaques. Aos 27′, quase marcou um gol olímpico. Aos 33′ foi substituído por seu herdeiro no Astra, Alexandru Ioniță, que fez sua estreia na seleção.

Aos 27′, Ganea recuperou a bola na defesa, arrancou pelo meio e lançou Chipciu. De primeira, o jogador do Anderlecht passou de primeira para Keșerü. O atacante ficou cara a cara com o goleiro Pokatilov e com a perna direita marcou o terceiro gol romeno. Assim como Budescu, Keșerü também vinha sendo preterido por Christoph Daum. Não marcava desde 3 de junho do ano passado, na goleada por 5×1 sobre a Geórgia, na preparação para a Eurocopa.

Como nada poderia ser tão perfeito, o Cazaquistão diminuiu. Aos 36 minutos do segundo tempo, Turysbek aproveitou a desatenção da zaga e subiu entre Chiricheș e Romario Benzar para marcar de cabeça. E ficou no 3×1.

Para quem sofria para vencer a Armênia e perdia para Montenegro, vencer com facilidade um time ainda mais fraco como Cazaquistão pode ser visto como um pequeno progresso. Até porque a própria Romênia empatou sem gols com o Cazaquistão no primeiro turno. Serviu para reforçar algumas certezas, com Romario Benzar na lateral direita; para redescobrir alguns talentos para a seleção, como Budescu; para tirar a extrema desconfiança sobre alguns nomes, como foi com Gicu Grozav.

O verdadeiro teste é no domingo, contra a Dinamarca em Copenhague. Sem ter mais a pressão do resultado, a Națională pode atrapalhar a vida dos adversários e forçá-los à repescagem, ou pode até mesmo tirá-los da Copa, caso Montenegro cometa o crime contra a Polônia em Varsóvia. Cosmin Contra, sem voz desde os 30′ do primeiro tempo, confirmou à TVR após o jogo que esta é a intenção: tentar atrapalhar a Dinamarca e se vingar de 10 de setembro de 2003, quando um gol de Martin Laursen, em Copenhague, aos 50′ do segundo tempo na última rodada, tirou as chances da Romênia de ir à Eurocopa 2004. Quem sabe?

Confira os gols:

Romênia 3×1 Cazaquistão – Estádio Ilie Oană, Ploiești
Quinta-feira, 5 de outubro de 2017
Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 – Grupo E

Romênia: Tătărușanu; Ganea, Grigore, Chiricheș, Benzar; Pintilii (Hoban 25′-2ºt), Marin, Grozav, Budescu (Ioniță 34′-2ºt), Chipciu; Andone (Keșerü 22′-2ºt).
Técnico: Cosmin Contra

Cazaquistão: Pokatilov; Suyumbayev, Dmitrenko, Akhmetov, Maily, Beysebekov; Tagybergen (Turysbek 20′-2ºt), Nurgaliyev (Khizhnichenko-int), Darabayev, Kuat; Murtazayev (Schetkin 13′-2ºt).
Técnico: Aleksandr Borodyuk-RUS

Gols: Constantin Budescu (32′-1ºt e 37′-1ºt), Claudiu Keșerü (27′-2ºt), Bauyrzhan Turysbek (37′-2ºt).

Trio de arbitragem (Suíça): Sandro Schärer, auxiliado por Stephane de Almeida e Sladan Josipovic.

Um comentário em “Budescu mostra por que é o grande nome de sua geração e Romênia vence Cazaquistão por 3×1

  1. Ta certo que o cazaquistão nao é parametro pra nada, mas enfim, valeu a vitoria. Eu gostaria de ver stanciu com budescu. O jogador do anderlecht poderia jogar maus recuado, como segundo volante. Sanmartean (outro desperdiçado por tecnicos incompetentes) cansou de jogar assim. Andone nao faz gol, mas ajuda muito no ataque, preparando jogadas (me lembra o guerrero, com devidas proporções). Agora, esse chipciu é fraco, sempre achei. Perde cada gol, e nao dribla, para um cara de lado de campo. Uma pena, num grupo acessivel desses, ver a copa se desenhando, as seleções se classificando, e s romenia eliminada na antepenultima rodada. Ate a escocia pode ir pra repescagem, com futebol de muita vontade.A romenia podia vencerva dinamarca, pra pagar aquela partida de 2003. Se bem que acho pouco provavel que montenegro vença a polonia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s