Mídia romena crava Cosmin Contra como o novo técnico da seleção romena

O técnico do Dinamo Bucareste, Cosmin Contra, será o novo técnico da seleção romena, anuncia a imprensa do país. O treinador terá como missão classificar a Romênia para a Eurocopa 2020, e substituirá o alemão Christoph Daum, que está com os dias contados após a comissão avaliadora da FRF recomendar sua saída ao presidente Răzvan Burleanu. De acordo com o ProSport, o ex-lateral direito deixará seu clube já antes do jogo contra o CS Universitatea Craiova, no próximo sábado, para assumir a seleção.

Aos 41 anos, Contra rescindirá com o Dinamo sem custos, devido às cláusulas no contrato do técnico que permitem que ele saia para times maiores ou para a seleção romena. Em maio, ele havia renovado seu contrato para até junho de 2018. A FRF estava cogitando outras opções, como Dan Petrescu, do CFR Cluj, e Gheorghe Hagi, do Viitorul. No caso de Dan Petrescu, o CFR Cluj só aceitaria o negócio caso seu técnico treinasse clube e seleção simultaneamente, o que foi descartado pela FRF. Hagi, por sua vez, havia recusado prontamente o cargo, deixando claro que haveria um conflito de interesses. Além de técnico, ele é fundador e proprietário do Viitorul.

Contra assumiu o Dinamo em 16 de fevereiro deste ano, substituindo Ioan Andone. O time estava na zona de repescagem contra o rebaixamento, e tinha chances remotas de classificação aos play-offs. Sob o comando de Contra, os Cães Vermelhos alcançaram os play-offs e o 3º lugar do Romenão, garantindo uma vaga na Liga Europa após cinco anos. Nesta temporada, porém, o time caiu de produção, mesmo com o heróico empate com o Athletic Bilbao em casa pela Liga Europa (com direito a golaço de Rivaldinho e Rivaldo nos camarotes). Com nove rodadas disputadas, o Dinamo hoje amarga o 7º lugar, com 5 vitórias e 4 derrotas. O “Boquinha”, como é apelidado na Romênia, acumulou 26 jogos nesta passagem pelo Dinamo, com 15 vitórias, 5 empates e 6 derrotas.

Ainda de acordo com a imprensa romena, a diretoria do Dinamo já está a procura de um substituto para Contra. Os favoritos são Vasile Miriuță, do Concordia Chiajna, e o atual campeão da Copa da Romênia, Claudiu Niculescu, do Voluntari.

Contra iniciou sua carreira de técnico na Politehnica Timișoara, na temporada 2010-11. Passou também pela base do Getafe e pelo pequeno Fuenlabrada, da Espanha, até chegar ao Petrolul Ploiești em outubro de 2012. Foi seu melhor momento, acumulando 33 vitórias, 20 empates e apenas 5 derrotas em 58 partidas. Lá, conquistou seu único título como técnico: A Copa da Romênia 2012-13, vencendo o CFR Cluj na final e encerrando um jejum de 18 anos sem títulos de expressão para os Lobos Amarelos. O bom desempenho chamou a atenção do Getafe, clube em que jogou de 2005 a 2009. Após 29 jogos, Contra foi para o Guangzhou R&F, da China, onde fracassou, perdendo metade dos jogos. Após apenas três meses no Alcorcón, o romeno chegou ao Dinamo Bucareste.

Opinião

Após o fracasso com o alemão Christoph Daum e os insistentes pedidos de renúncia a Răzvan Burleanu, a FRF tomou uma decisão acertada. Os últimos três técnicos da seleção foram antigos e ultrapassados. Victor Pițurcă deixou o cargo em 2014, em sua terceira passagem no comando da Națională. Anghel Iordănescu assumiu a seleção após 10 anos sem treinar um time sequer. Christoph Daum estava fora de atividade desde 2014. Desta vez, chega um jovem técnico de 41 anos no maior desafio de sua carreira.

Contra é uma escolha ousada. Ele teve trabalhos ótimos, bons, regulares, ruins e péssimos em seus sete anos de carreira. Certo, todo técnico tem isso. Mas por mais que seu início de temporada no Dinamo tenha deixado a desejar, ele recuperou de vez o orgulho do clube e o levou de volta ao circuito europeu e ao 3º lugar na Liga I, a melhor classificação do time na década. Um 3º lugar que os Cães Vermelhos não viam há nove anos. Sem falar do trabalho fantástico que fez há quatro anos no Petrolul, encerrando um jejum de títulos.

O fato é que vale a pena apostar em Contra, principalmente porque a Romênia não tem mais nada a perder. Perdeu seu prestígio internacional há muito tempo, e escolher medalhões não se mostrou um grande sucesso. Salvo um ou outro talento realmente interessante, a geração que está presente na seleção principal é medíocre. Além disso, seu estilo motivador, estourado e de garra pode botar vergonha na cara de alguns jogadores mais indolentes. Por mais estranha que esta frase possa soar, tudo está a favor de Contra.

 

O jogador Cosmin Contra

018AF3FE00000578-3657080-image-a-1_1466717043462
Contra em duelo com Ribéry: o lateral direito foi o titular na Euro 2008

Cosmin Contra foi um dos principais jogadores da sua geração, sendo um dos mais velhos na época em que também se destacavam Mutu, Chivu, Lobonț e, um pouco mais tarde, o também lateral direito Săpunaru. Revelado na Politehnica Timișoara em 1993, foi para o Dinamo aos 21 anos, em 1996. Lá, se destacou e foi para o Deportivo Alavés, num dos melhores momentos da história do clube espanhol. Suas boas atuações o levaram ao Milan, onde atuou em 2001-02. Após dois anos no Atlético de Madrid, foi emprestado para West Bromwich Albion e Politehnica Timișoara. Em 2005, o Atlético vendeu Contra para o Getafe, onde o lateral direito reencontrou seu melhor futebol, com dois vices da Copa del Rey. Finalmente, em 2009, o “Boquinha” faz sua terceira e última passagem pela Politehnica Timișoara, até se aposentar em 2012.

Pela seleção romena, disputou 73 jogos e marcou 7 gols. Esteve presente em campo em todos os jogos da Romênia nas Eurocopas de 2000 e 2008.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s