Romênia vence Armênia na bacia das almas e segue com chances matemáticas para 2018

A seleção romena lutou demais — mais do que deveria ser necessário — para vencer a Armênia por 1×0, tendo um jogador a mais em campo desde a expulsão de Voskanyan aos 9′ da etapa complementar. Depois de dois gols anulados por impedimento e um pênalti perdido por Bogdan Stancu, o gol da vitória veio com Alexandru Maxim, aos 46′ do segundo tempo. Com o resultado, a Romênia foi a nove pontos e segue com chances matemáticas de classificação para a Copa do Mundo de 2018, atrás de Polônia, com 16, Montenegro e Dinamarca, cada uma destas com 13 pontos.

Faltam três rodadas, o primeiro colocado do grupo se classifica diretamente e os oito melhores segundos vão para a repescagem. A Romênia joga na próxima segunda-feira com Montenegro em Podgorica. Em 5 de outubro, recebe o lanterna Cazaquistão, e no dia 8 terá um provável confronto decisivo contra a Dinamarca fora de casa. As chances existem, mas são próximas a zero por causa do clima que ronda a seleção.

Um time desesperado

O jogo não foi ruim no primeiro tempo. Foi um bom jogo, com chances para os dois lados. Ou seja, foi um mau primeiro tempo da Romênia. No primeiro turno, a Armênia não tinha Mkhitaryan, seu principal jogador, e jogou com um a menos desde o início do primeiro tempo, resultando num 5×0 para os romenos. Em Bucareste, a história foi muito diferente.

Daum surpreendeu desde o começo deixando Băluță como meia atrás do centroavante Florin Andone e Stancu na ala esquerda, quando, pelas posições em que costumam jogar, deveria ter sido o inverso.

Aos 9′ do segundo tempo, o zagueiro Voskanyan foi expulso após receber o segundo cartão amarelo num lance de mão dentro d’área. Bogdan Stancu, cobrador oficial que raramente perde pênaltis, perdeu. Meliksatyan fez boa defesa e salvou a Armênia, que se fechou completamente. A partir daí, a Romênia dominou a partida, chutava a gol e insistia muito no jogo pela direita com Romario Benzar. Uma atuação desesperada e desorganizada, com a pouca criatividade no meio-campo vindo de Stanciu e, muito raramente, com Băluță.

Era absurdo, mas a Romênia estava prestes a empatar com a Armênia, em casa, com um jogador a mais durante boa parte do jogo.

Comemoração na vitória chorada sobre a Armênia: eliminação talvez, mas não com três rodadas de antecedência. (foto: Facebook oficial seleção romena)

Os loucos 15 minutos de Maxim

Alexandru Maxim, meia do Mainz 05, da Alemanha, foi a última substituição feita pelo alemão Christoph Daum. aos 36′ do segundo tempo. Segundos depois, o lateral direito Romario Benzar consegue espaço e chuta da quina d’área. A bola passa por Meliksatyan e vai em direção ao gol. Por impulso ou burrice do momento, Maxim coloca o pé na bola, completamente impedido. O gol é anulado, faltando pouco mais de oito minutos para o final do tempo regulamentar.

Pouco mais de oito minutos, depois, aos 46′, o lateral esquerdo Cristian Ganea alça a bola n’área. A bola cai em Romario Benzar, que domina e cruza com força, num último suspiro. A bola bate em Maxim e entra, para dar oxigênio à Romênia nas eliminatórias, mas não ao cada vez mais pressionado Christoph Daum. O meia desabafa, mandando a torcida calar a boca.

Tudo isso nos 15 minutos em que Maxim esteve em campo.

O problema Daum ou o “Dunga” romeno

Christoph Daum está com a corda no pescoço há muito tempo, e piorou sua situação após a vitória chorada contra a Armênia. Ao mesmo tempo em que é desrespeitado como pessoa pela imprensa e em especial pela campanha panfletária do tabloide esportivo Gazeta Sporturilor. Um repórter do jornal, em plena coletiva de imprensa antes do jogo contra a Armênia, levou uma vara de pescar ao técnico, porque este se defendeu dias antes dizendo que a Gazeta Sporturilor só servia para embrulhar peixe.

Ao mesmo tempo, Daum comete erros crassos, que só ele parece não enxergar. Sequer convocou Denis Alibec, o melhor jogador romeno no momento. OK, na seleção Alibec nunca mostrou o que jogou no Steaua/FCSB e no Astra. Mas bem, nem o titular absoluto de Daum, Florin Andone, do Deportivo La Coruña, se provou útil desde que chegou à seleção.

Daum insiste na convocação de Andrei Ivan. Vendido do CS Universitatea Craiova ao FC Krasnodar nesta janela por 3 milhões de Euros, o atacante de 20 anos não tem jogado bem desde seus últimos dias no futebol romeno. Muito menos no FC Krasnodar, onde joga pouco. Ivan substituiu Băluță, antigo companheiro de Craiova, aos 29′ na segunda alteração da Romênia contra a Armênia. Merecer não merecia.

Por fim, o técnico da seleção romena faz um papel de Dunga em sua segunda passagem pela seleção brasileira. Futebol que deixa a desejar em campo e ideias que não parecem se encontrar com a de seus jogadores. “Talvez” o vestiário tivesse sido afetado meses antes, quando Daum deu a entender que a culpa era do nível dos jogadores e que não havia nada que ele podia fazer. E por mais que aceite o fato de que toda a Arena Națională pediu sua cabeça hoje, a diferença entre sua satisfação com a vitória e a insatisfação do capitão Vlad Chiricheș é preocupante. Os discursos pós-jogo são totalmente diferentes.

O melhor jogador da Romênia se chama Romario

Individualmente, Andone e Chipciu foram os piores jogadores no lado da Romênia. Andone, de longe, foi o pior. Tătărușanu provou que é o mesmo goleiro que está voando no Nantes ao salvar o time da melhor chance armênia, ainda no primeiro tempo. Băluță não comprometeu. Stancu quase pôs tudo a perder quando desperdiçou o pênalti. Os olhos de qualquer pessoa que quer buscar algo positivo na seleção romena atual precisam estar focados em Romario Benzar.

O fato de não existirem Romarios na Romênia antes do nosso Romário não é coincidência. O Romario romeno é lateral direito revelado no Viitorul, e supre uma carência da seleção que existia desde que Săpunaru envelheceu e virou zagueiro. Mățel, Papp e até Chiricheș improvisado já haviam sido utilizados nos últimos anos. E, aos 25 anos, Romario Benzar é o herdeiro de uma posição que já foi de Săpunaru, Contra e Petrescu.

Com muita qualidade na subida ao ataque e segurança na marcação, Romario Benzar foi o principal motivo de preocupação para os armênios hoje e continuará sendo uma arma importante na constante busca por reconstrução da Romênia.

Romênia 1×0 ArmêniaArena Națională, Bucareste
Sexta-Feira, 1º de setembro de 2017
7ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 – Grupo E

Romênia: Tătărușanu; Ganea, Toșca, Chiricheș, Benzar; Pintilii, Stanciu, Stancu (Maxim 36′-2ºt), Băluță (Ivan 29′-2ºt), Chipciu (Popa 23′-2ºt); Andone.
Técnico: Christoph Daum-ALE

Armênia: Meliksetyan; Daghbashyan, Voskanyan, Haroyan, Hambartsumyan; Hovhannisyan, Malakyan (Edygaryan-int), Manoyan (Koryan 13′-2ºt), Pizzelli (Adamyan 29′-2ºt), Mkhitaryan; Barseghyan.
Técnico: Artur Petrosyan

Gol: Alexandru Maxim (46′-2ºt)

Trio de arbitragem: (Croácia) Ivan Bebek, auxiliado por Tomislav Petrovic e Miro Grgic.

4 comentários em “Romênia vence Armênia na bacia das almas e segue com chances matemáticas para 2018

  1. O nivel individual nao ajuda. Andone é disparado o melhor atacante romeno, joga numa liga fortissima num time que joga em funçao dele. Mas alibec vem merecendo mais oportunidades. A romenia nao vai se classificar, é quase um fato. Desde aquela primeira partida contra montenegro, onde conseguiu arranjar um gol no final,tomar o empate logo depois, e perder um penalti nos acrescimos, era indicio de fracasso.Sinceramente, nao vejo mais nada pra se extrair individualmente dessa geração, e somado a incapacidade do tecnico de tentar alguma coisa coletiva.Ate a bulgaria, que ta pior, vem fazendo mais bonito.A troca de tecnico se faz necessaria, mudança de ares, pelo menos.Ao meu ver, a romenia, que foi cabeça de chave, teve um grupo acessivel. A tendencia é a coisa piorar. Grupos para copa e euro sao baseados no ranking,pra se montarem os potes. Os grupos vão ficar cada vez mais dificeis.Obviamente, essa geração não é essa coca cola toda não, bem limitada, mas tem alguns valores que tem algum nivel.Outrora, em outras desclassificaçoes, e que vieram ate na ultima rodada, tinha-se grandes jogadores como lobont, contra, chivu, mutu, dica,marius e daniel niculae,marica, mas agora,essa galera nao passa confiança, futebol pequenininho…

    1. O Andone tá indo pro mesmo buraco do Keseru. Na Bulgária o Keseru destrói, na seleção era um cone. Andone a mesma coisa. E ele é bem fraco, hoje não jogou absolutamente nada. Se esforça mais que o Alibec e tem um pouco mais de cabeça, mas tecnicamente o Alibec não perde em nada pro Andone. Além disso, o Andone não joga nada há muito tempo na seleção. Stancu é mais decisivo que ele. O próprio Deportivo La Coruña não é lá grande coisa atualmente.

      Concordo com a troca de técnico. Entendo os esforços do Daum, mas ele já estourou a cota.

      A tendência é piorar no sentido dos sorteios, da geração não. A gurizada sub-21 já tá com duas vitórias nas eliminatórias da Euro, venceu a Bósnia fora de casa de virada, e tal. Capaz de se classificar.

      Essa geração é pior que a que se classificou pra Euro 2008, mas tá jogando muito abaixo do que pode. Além disso, tava sem Budescu e sem Alibec convocados, enquanto o Daum insiste em botar o Ivan pra jogar.

  2. Os centroavantes romenos, pelo menos os mais famosos, da decada de 90 pra ca, de lacatus ate andone (nao é famoso, mas é o titular do momento),sempre foram muiti rapidos e saiam da area (ta certo, andone nao é rapido, mas sai muito da area, me lembra um pouco o marica, mas com menos recurso que o segundo). O que quero dizer é o seguinte, outrora, a equipe era muito mais tecnica, o que possibilita o centroavante “fluruar” (agora é moda esse termo, né) pelos lados. Se a gante ver um jogo da romenia, vê um time sem compactação, muito espaçado, e com muitos cruzamentos. Na boa, acho que a classificação ja era mesmo. Contra montenegro vai ser essa equipe aí, mas acho que já na proxima convocação era hora de mudar primeiramente o estilo de jogo, e alguns nomes. Eu, sinceramente, daria uma chance ao george puscas. Ta certo, nao é o maior centroavante romeno, mas é o que fica mais presente na area, e sabe fazer o pivô, por ter muita força fisica. Poderia ate jogar junto com alibec. Nao tem espaço pra stanciu e budescu juntos. Acho o primeiro muito mais jogador, é um sanmartean jovem. Quem sabe a volta de gardos, Maxim ja um jogador acostumado com o forte futebol alemão, fez boas partidad na bundesliga, acho que merece mais chances. Dos mais jovens que atuam no futebol local, apostar em quem? Coman? Tanase? Acho que tem que jogar muito, mas muito mesmo, pois o “romenão” nao é parametro. E como ja disse em alguns comentarios, é torcer pra dragomir, pascanu, dulca, farcas,craiu, entre outros consigam se profissionalizar no exterior, e desenvolver futebol de bom nivel nas principais ligas. Saudaçoes rubro negras, futuro campeão da copa do brasil…kk

  3. A mudanca e renovação sao necessarias um tecnico romeno que seja um vibrante e apaixonado pela Nationala pois o Daum e fraco, em que se investir nos jovens jogadores Puscas e Maxim devem ser titulares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s