Matéria do site do jornalista Daniel Nanu
Tradução e adaptação: João Vítor Roberge – O Craiovano
Notas da tradução estarão entre colchetes

 

Em 11 de outubro de 1989, a Dinamarca nos vencia por 3×0 em Copenhague e ameaçava a classificação para a Copa do Mundo na Itália. Era um grupo de quatro equipes, com Romênia, Dinamarca, Bulgária e Grécia. Apenas um time iria ao mundial. Seria, em 15 de novembro, o jogo crucial com os dinamarqueses em Bucareste, no qual os Tricolori tinham uma única opção: a vitória.

A derrota dura de Copenhague havia criado um verdadeiro choque na Romênia. Se chegou ao ponto em que a partida foi citada em uma reunião feroz do Comitê Político Executivo do Partido Comunista Romeno! A ata explosiva foi publicada há alguns anos na revista “Sport Magazin” com a assinatura de Teodor Burnar e foi extraída dos Arquivos Nacionais Históricos Centrais. Na reunião haviam participado nomes importantes na hierarquia do PCR, como Emil Bobu, Elena Ceausescu, Lia Ciobanu, Constantin Dascalescu, Manea Manescu, Stefan Andrei, Constantin Olteanu, Suzana Gâdea, Ana Muresan, Tudor Postelnicu. Todos de frente com, claro, “o mais amado filho do povo”, Nicolae Ceausescu.

De forma interessante, o “seu Nicu” e a “acadêmica de renome mundial” [Elena Ceausescu, esposa de Nicolae] haviam assistido ao jogo e estavam furiosos após a ultrajante derrota. Elena Ceausescu sabia de que clubes vinham os jogadores da seleção, inclusive que Gica Popescu jogava no Universitatea Craiova! Nervoso após a fraca atuação dos jogadores, Nicolae Ceausescu ameaçou extinguir Steaua e Dinamo caso os Tricolori não ganhassem o jogo do segundo turno!

Algo parecido aconteceu na Bulgária em 1985, quando após os incidentes da final da copa nacional [brigas brutais incluindo agressões físicas ao árbitro], os dois maiores rivais, CSKA e Levski, foram extintos. Seus nomes foram mudados para Sredets e Vitosha, respectivamente. Muitos jogadores, inclusive o grande Stoichkov, haviam recebido suspensão perpétua. Um ano depois, voltaram atrás nas decisões.

Leia a incrível ata, com menção que os intertítulos pertencem a mim.

A ata da reunião do Comitê Político Executivo do PCR, de 12 de outubro de 1989

Nicolae Ceaușescu: “Vocês viram, ontem à noite, o que aconteceu no jogo de futebol? Parece-me que um membro do governo precisa se ocupar do esporte.”

Constantin Dăscălescu: “Falta de organização, pura e simplesmente.”

Elena Ceaușescu: “Nos fizeram de piada!”

Elena Ceaușescu: “Mas nem é necessário que se coloque um membro do governo. Eles jogaram muito mal.

Nicolae Ceaușescu: “O governo também tem responsabilidade. O governo responde também pelo esporte e pela cultura. Esta é a lei. Precisávamos levar esta surra de 3×0?!”

Elena Ceaușescu: “De qualquer forma, nos fizeram de piada.” 

Nicolae Ceaușescu: “Se não ganharem os dois pontos, acabamos com os clubes!”

Nicolae Ceaușescu: “Eu até disse pro Bobu que se aqui nós não conquistarmos os dois pontos [a vitória valia dois pontos na época], vamos simplesmente acabar com os clubes que têm jogadores na seleção.  Comuniquem também ao pessoal do Ministério de Assuntos Internos. Eu já os avisei por telefone. O Exército está aqui também? Eles também tiveram jogadores convocados. [O Steaua era o clube do Exército romeno]

Silviu Curticeanu: “O camarada Milea não está presente na reunião, está em Buzau por causa das eleições”.

Nicolae Ceaușescu: “Ele vai ouvir. Repito, acabaremos com todos os clubes que cederam jogadores à seleção, caso não vençam aqui”.

Elena Ceaușescu: “O Exército deu apenas dois jogadores, um é do Universitatea [Craiova], e o resto é todo do Dinamo…”

Ata da reunião do Partido Comunista que ameaçou extinguir clubes romenos
Ata da reunião do PCR de 12 de novembro de 1989. (foto: Reprodução – revista Sport Magazin)

 

“Eu não sabia disso. Eu me lembro, no entanto, de que a partida foi jogada num estado de alta tensão. Emil Bobu quis se reunir com todos os jogadores, mas eu pedi para Valentin Ceasuescu [filho de Nicolae Ceausescu e dirigente do Steaua] para que ele desistisse da ideia. Desta forma, levaram para uma reunião apenas nós, treinadores e eu acho, os dirigentes da federação. Nos disseram para vencermos por Ceausescu, pelo Partido e pelo povo.” – Emeric Jenei, técnico da seleção romena na época.

“Incrível! É verdadeira, esta ata? Lembro-me que se criou um estado de verdadeira emergência em torno do jogo com a Dinamarca… Do que eu ouvi falar, Elena Ceausescu era muito mais Dinamo do que Steaua” – Mircea Lucescu, técnico do Dinamo Bucareste em 1989.

Dinamarca 3×0 Romênia –  11 de outubro de 1989, Copenhague, Estádio Parken
Público: 45 mil

Gols: K. Nielsen (4′), B. Laudrup (27′), E. Poulsen (39′-2ºt)

Danemarca: Schmeichel; Sivebaeck, L. Olsen, I. Nielsen (P. Larsen-int), Heintze; J. Jensen, K. Nielesen, M. Laudrup; Bartram, E. Poulsen, B. Laudrup.
Técnico: Sepp Piontek

România: Lung; Iovan, Rednic, Andone, Klein; Sabău (Lupu – 19′-2ºt), Gh. Popescu, Mateuț, Rotariu; Cămătaru, Hagi.
Técnico: Emeric Jenei

Árbitro: Claude Bouillet (França)

Em 15 de novembro de 1989, no Ghencea, a Romênia venceu a Dinamarca por 3×1 e se classificou para uma Copa do Mundo pela primeira vez depois de 20 anos. [Em 25 de dezembro de 1989, no auge da Revolução Romena, Nicolae e Elena Ceausescu são executados após controverso julgamento em Târgoviste]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s