O que aconteceu enquanto estivemos fora?

Desde a carta de despedida d’O Craiovano em 24 de agosto de 2015, muita coisa aconteceu no futebol romeno. Muita coisa mesmo. Segue aqui uma retrospectiva de 2015 e 2016. Para o leitor que quer apenas uma panorâmica, seguem os títulos, e mais abaixo, os títulos com os detalhes:

Romênia se classifica para a Eurocopa 2016, mas dá vexame
Camaronês Patrick Ekeng morre em campo jogando pelo Dinamo
Astra Giurgiu é campeão romeno
CFR Cluj campeão da Copa da Romênia
Steaua conquista a Copa da Liga
CS U Craiova vai mal em 2015-16
Clubes tradicionais são destruídos por atacado
Seleção não engrena com técnico estrangeiro
Stanciu, Chipciu e Andone fazem bonito no exterior
Irregularidades em transferência no clube de Hagi
Astra voa na Liga Europa
Morre o ex-zagueiro da seleção Daniel Prodan, da seleção de 1994, aos 44 anos
Morre o “lorde” Jean Padureanu

E agora, os detalhes.

Temporada 2015-16

Romênia se classifica para a Eurocopa 2016
Numa campanha com futebol bastante fraco e levando sufoco para Irlanda do Norte e Finlândia, a Romênia se classifica para a sua quinta Eurocopa. Em 7 de outubro de 2015, assisti na Arena Nationala ao empate entre 1×1 entre Romênia e Finlândia, para misturar a alegria de ver um jogo da seleção com a raiva de ver um time tão fraco. O time de Anghel Iordanescu não empolga na frente e termina atrás da Irlanda do Norte num grupo que tinha ainda Hungria, Finlândia, Ilhas Feroe e Grécia. No entanto, tem uma defesa sólida e os empates contra Itália e Espanha em amistosos dão confiança. A derrota para a Ucrânia por 4×3 e a vitória sobre a Geórgia por 5×1 confundem a cabeça do torcedor, que não sabe mais o que pensar. A expectativa para o grupo com França, Suíça e Albânia é clara: passar da fase de grupos.

Astra Giurgiu é campeão romeno
Após conquistar Copa e Supercopa em 2014, o Astra Giurgiu fatura a Liga I com um esquadrão repleto de ótimos jogadores e repleto de salários atrasados. O irreverente técnico Marius Sumudica comandou a muralha Silviu Lung Jr, os medalhões Daniel Niculae e Cristian Sapunaru, o matador Denis Alibec, o veterano Filipe Teixeira e as estrelas brasileiras William de Amorim e Júnior Morais rumo ao título, com o vice do Steaua.

CFR Cluj conquista a Copa da Romênia
Famoso por suas participações recentes na Champions League e na Liga Europa, o CFR havia decaído. Sem títulos desde 2012, quando conquistou a Liga I no último grande time repleto de estrangeiros e de grana, o clube já estava carente de conquistas. E em 2016, nos pênaltis, após 2×2 com a prorrogação, o troféu vem na Copa da Romênia. E sobre o Dinamo Bucareste, que também não ganhava nada desde 2012, quando levou a Copa, e precisava do troféu.

Mesmo com o título, o CFR Cluj não se classificou para a Liga Europa, porque está em insolvência financeira. E como também estava nesta situação, nem o Dinamo conseguiria a vaga, que sobrou para o primeiro colocado da repescagem da Liga I, o CSMS Iasi.

Steaua leva a Copa da Liga como consolação
Ao Steaua, não restou muita coisa. O proprietário Gigi Becali segue com a guerra contra o Exército romeno, que não lhe dá mais permissão de usar a marca Steaua e fundou um Steaua “legítimo”, querendo competir na quinta divisão (o Steaua foi fundado em 1947 pelo Ministério da Defesa e pelo Exército). Com um time fragilizado, eliminado precocemente dos torneios europeus e com cada vez menos apoio da torcida em decorrência dos conflitos, restou a Copa da Liga, o torneio mata-mata entre os 14 clubes da Liga I ao qual ninguém da muita bola. Vitória sobre o fraco Concordia Chiajna, por 2×1, na prorrogação.

Craiova capenga
O CS Universitatea Craiova havia se candidatado aos play-offs da Liga I. A dupla de técnicos formada pelos ídolos Emil Sandoi e Sorin Cârtu, que havia levado o time ao quinto lugar de 2014-15, perde a mão e é demitida. Chega Victor Naicu para arrumar a casa, sem sucesso. O CSU fica num muito modesto 8º lugar e adia mais uma vez o sonho de chegar à Liga Europa. Já o FC Universitatea… Bem… Segue fora do radar com Adrian Mititelu com as eternas promessas de que a próxima temporada terá o clube de volta às competições. Os processos contra LPF e FRF sobre a desfiliação de 2011 continuam.

Eurocopa: fracasso total
Após um bom começo contra a anfitriã França e a apresentação de um bom futebol na derrota por 2×1 no último lance do jogo, a Romênia de Anghel Iordanescu desmorona. Sem nenhum jogador rendendo o esperado, os tricolorii empatam com a Suíça em 1×1. No jogo que definiria a classificação, contra a Albânia, um vexame. A mais fraca atuação de todas e derrota por 1×0, em falha de Tatarusanu. A Romênia encerra sua quinta participação em Eurocopas no último lugar do grupo com França, Suíça e Albânia, e apenas dois gols marcados: os dois de pênalti, por Stancu. Ainda pior do que a participação anterior, em 2008, quando terminou em terceiro com dois pontos no grupo da morte que tinha Holanda, Itália e França.

Temporada 2016-17

Rapid, Petrolul, Otelul e U Cluj no buraco. Arges desmorona e Poli enfrenta as primeiras dificuldades
É isso mesmo. Rapid Bucareste, Petrolul Ploiesti, Otelul Galati e Universitatea Cluj, clubes tradicionalíssimos no cenário nacional, desapareceram após as insustentáveis crises dos últimos anos, e agora buscam o recomeço abaixo da terceira divisão. O Rapid, inclusive, está se dividindo em dois. Já vimos este filme antes. O projeto do grande FC Arges, que você pôde conhecer um pouco através desta reportagem, não conseguiu se manter após finalmente subir para a terceira divisão. A SS Politehnica Timisoara, sucessora da Poli original que tem maioria gigantesca da torcida, chegou sem problemas à Liga II, mas agora luta contra o rebaixamento.

Chega o alemão. A esperança de renovação! Nem tanto.
Anghel Iordanescu cai. A FRF busca uma solução para a Nationala, e após inúmeras especulações sobre inúmeros técnicos, a seleção romena passa a ter o alemão Christoph Daum como técnico. É o primeiro técnico estrangeiro desde 1934, quando o austríaco Josef Uridil comandou a seleção. A esperança é grande de renovar e começar bem a caminhada rumo à Copa do Mundo na Rússia em 2018. Doce ilusão. Com muito menos melhoras imediatas do que esperado e extrema má-vontade de alguns dirigentes de clubes, o alemão que foi multicampeão nos anos 90 e no começo dos anos 2000 começa mal. Empate em 1×1 contra Montenegro na estreia, 5×0 na fraca Armênia, 0x0 contra o Cazaquistão fora de casa e derrota por 3×0 para a Polônia na Arena Nationala. No amistoso para fechar 2016, derrota por 1×0 para a Rússia. Classificação comprometida e novas-velhas dores para o futebol romeno.

Astrão da Massa faz chover na Liga Europa. O Steaua, bem…
O apelido “Astrão da Massa” é irônico, porque o clube de Giurgiu não tem muita torcida. Contudo, o clube teve resultado de grande nesta temporada. Certo, caiu na Champions League para o Copenhague, mas na Liga Europa, a situação mudou. O time liderado por Marius Sumudica eliminou pelo segundo ano consecutivo o West Ham e passou à fase de grupos. Mandando seus jogos em Bucareste, na Arena Nationala, começou com duas derrotas, para Austria Viena (2×3) Roma (0x4). Mas conseguiu uma recuperação impressionante e alcançou o segundo lugar do Grupo E, que foi liderado pela Roma e tinha ainda o Viktoria Plzen, da República Tcheca. O bom desempenho foi “recompensado” com um desmanche e a perda de peças importantíssimas, como Júnior Morais e Denis Alibec, que foram para o Steaua.

O Steaua passou pelo Sparta Praga, mas nos play-offs, para ver se retornaria aos grupos da Champions League depois de sete anos, foi sapecado pelo Manchester City, com um 5×0 em Bucareste e 1×0 em Manchester.

Viitorul, CSMS Iasi e Pandurii, os três classificados direto para a Liga Europa, caíram todos nos primeiros confrontos, para Gent-BEL, Hajduk Split-CRO e Maccabi Tel Aviv-ISR.

Romenada bem no exterior
Os meias Nicolae Stanciu e Alexandru Chipciu saíram do Steaua rumo ao Anderlecht, e após um início meio fraco, principalmente de Stanciu, os dois têm ido muito bem em Bruxelas. O clube belga segue para os 16-avos-de-final da Liga Europa. Além disso, Stanciu passou a ser a transferência mais cara da história do Anderlecht, num investimento de quase 10 milhões de dólares e ultrapassando o recorde do goleiro Steven Defour.

Ianis Hagi finalmente foi para a Fiorentina. Aos 18 anos, o filho de Gheorghe Hagi impressiona o técnico português Paulo Sousa e chegou a estrear nos profissionais. Por enquanto, ele tem ido muito bem nas categorias de base em Florença.

Razvan Marin, meia de 20 anos formado no Viitorul, foi vendido para o Standard Liége, da Bélgica. Diferente de Ianis Hagi, Marin chega para jogar no time principal do seu novo clube, após impressionar nas convocações do técnico da seleção romena, Christoph Daum.

Florin Andone saiu do Córdoba, da Espanha, para o Deportivo La Coruña. Marcou sete gols e deu duas assistências em 17 jogos pelo campeonato espanhol. Além disso, coroou 2016 sendo eleito o melhor jogador da competição em dezembro. Falta agora render também na seleção.

Hagi Leaks
O jornalista esportivo e investigativo Costin Stucan e a Gazeta Sporturilor entraram em parceria com uma rede europeia de investigações e descobriram diversas irregularidades na transferência do lateral Cristian Manea do Viitorul para o Apollon Limassol, do Chipre. A complexa história rendeu uma grande reportagem em texto na Gazeta Sporturilor. Hagi, fundador, dono e técnico do Viitorul, se defendeu das acusações em um comunicado oficial no site do clube.

Agora sim, podemos voltar sem remorso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s