Brasileiro do Steaua/FCSB apoia publicamente o casamento gay numa Romênia ainda atrasada na questão LGBT

10404331_373149532881430_2258534139319232723_n
Guilherme apoia publicamente o casamento gay e se tornou exceção no futebol romeno

O lateral esquerdo Guilherme Sityá, do Steaua Bucareste/FCSB, foi mais um a alterar a foto de sua página no Facebook com o filtro disponibilizado pela rede social, em arco-íris, para demonstrar apoio ao casamento gay, aprovado nos Estados Unidos pela Suprema Corte do país. O jogador de 25 anos vai na contramão do dono do clube, Gigi Becali, que entre outras declarações homofóbicas, afirmou abertamente em 2012 que homossexuais não poderiam ser jogadores de futebol. Alguns dos seus seguidores no Facebook não se mostraram em favor da atitude de Guilherme, e fazendo comentários homofóbicos sobre o jogador.

Becali, o dono do clube em que Guilherme joga, tem um histórico de controvérsias sobre os homossexuais. Embora hoje seja mais moderado, em 26 de maio de 2006, ele e a Igreja Ortodoxa Romena tentaram extinguir a parada gay de Bucareste com uma carta encaminhada ao governo. No mesmo ano, ele propôs um referendo para “acabar” com os homossexuais da Romênia. Em setembro de 2007, também declarou que caso se tornasse presidente, isolaria os homossexuais em bairros específicos e extinguiria as boates gays.

Guilherme jogou também no Petrolul Ploiesti de 2012 a 2014, sendo campeão da Copa da Romênia 2012-13. Após uma curta passagem pelo Greuther Fürth, da Alemanha, ele voltou para a Romênia para defender o Steaua/FCSB, onde conquistou Liga I, Copa da Romênia e Copa da Liga. Na Liga I, disputou 15 partidas e fez uma assistência.

guilherme

Romênia vive entre leis anti-homofobia e uma sociedade muito conservadora

A Romênia ainda tem alguns atrasos em relação ao debate das questões LGBT. Embora haja leis anti-discriminação, o enquadramento de homofobia nos crimes de ódio e o direito de gays servirem ao Exército romeno, projetos de lei para o casamento homoafetivo foram recusados em 2013 e 2014 no Senado, no Parlamento e na Câmara dos Deputados.

Além disso, uma pesquisa de 2012 do Conselho Nacional para o Combate às Discriminações revelou dados alarmantes sobre o preconceito da sociedade romena a respeito desta questão: 18% dos entrevistados afirmam que os homossexuais são muito pouco discriminados, 31% responderam que não se sentiriam  confortáveis estando próximos de um homossexual, 30% ficariam “pouco confortáveis”. 63% declararam que ficariam muito incomodados se recebessem cortejos de homossexuais. 54% nunca teriam uma refeição com um homossexual, 48% ficariam muito perturbados se soubessem que alguém em sua família é gay, e 40% ficariam igualmente perturbados se seus filhos fossem alunos de um professor gay.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s