Há 32 anos, Universitatea Craiova se tornava o primeiro time romeno à chegar às semifinais da Copa da UEFA

O primeiro time romeno a chegar às semifinais da Copa da UEFA: Cima: Balaci, Crisan, Negrila, Ungureanu, Dumitru e Cârtu. Meio: Lung, Stefanescu, Irimescu, Beldeanu, Cioroianu, Ticleanu e Boldici. Baixo: Tilihoi, Ciupitu, Camataru, Otet (técnico), Popescu, Geolgau e Donose
O primeiro time romeno a chegar às semifinais da Copa da UEFA: Cima: Balaci, Crisan, Negrila, Ungureanu, Dumitru e Cârtu. Meio: Lung, Stefanescu, Irimescu, Beldeanu, Cioroianu, Ticleanu e Boldici. Baixo: Tilihoi, Ciupitu, Camataru, Otet (técnico), Popescu, Geolgau e Donose

Em 1982-83, o Universitatea Craiova era uma das melhores equipes romenas, e a melhor fora de Bucareste. O time era base da seleção romena, batia de frente com Steaua e Dinamo e era tricampeão romeno (1973-74, 1979-80, 1980-81). E há exatos 32 anos, conquistava mais um feito histórico, após ter se tornado o primeiro clube romeno a ter chegado às quartas-de-final da Champions League na temporada anterior: No Estádio Central, que em 1996 se tornaria o Ion Oblemenco, a Stiinta se tornava o primeiro time de seu país a chegar nas semifinais da Copa da UEFA, em uma vitória histórica sobre o Kaiserslautern, que à época era um clube da parte de cima da tabela na Alemanha. O caminho do Universitatea não foi fácil para chegar até aquelas quartas-de-final com, passando pela primeira e segunda fase, além das oitavas-de-final:

Os adversários:
Fiorentina: 3×1 em casa, de virada no Ion Oblemenco, que ainda era chamado de Central; e 1×0 para a Viola em Florença.
Shamrock Rovers, da Irlanda: O adversário mais fácil: 2×0 para a Stiinta fora e 3×0 em Craiova.
Bordeaux: 1×0 para os franceses na ida, e na volta, Ticleanu marcou o de empate aos 39, e Geolgau, 11 do primeiro tempo da prorrogação, virou.

Entrava em campo o Universitatea Craiova, liderados pelo "Ministro da Defesa", o zagueiro Costica Stefanescu
Em um Central totalmente lotado, entrava em campo o Universitatea Craiova, liderado pelo “Ministro da Defesa”, o zagueiro Costica Stefanescu

Quem vinha pela frente era o Kaiserslautern, nas quartas-de-final. Time fraco, pequeno da Alemanha? Nas duas temporadas anteriores, ficou na quarta colocação no campeonato alemão (na última, atrás de Hamburgo, Colônia e Bayern). Para chegar até aquelas duas partidas com a Craiova Maxima, os alemães tiveram que eliminar Trabzonspor, da Turquia, Napoli e Sevilla. Além disso, um de seus principais jogadores era ninguém menos que Andreas Brehme, que entre outras conquistas, foi autor do gol do título alemão na Copa do Mundo, sete anos depois.

Aliás, naquele jogo de ida, em 2 de março de 1983, foi Brehme quem abriu o placar para o Kaiserslautern na Alemanha, aos 24 do primeiro tempo, com uma bomba de fora d’área. Sem Ilie Balaci, o principal craque romeno daquela época, a Craiova Maxima havia se enfraquecido. Irimescu marcou contra aos 40, no rebote de Silviu Lung.

E logo no início do segundo tempo, Brehme ampliou para 3×0, numa falha do goleiro romeno. um placar pronto para sacramentar a eliminação do Universitatea Craiova. Mas estava cedo. Um minuto depois, Ion Geolgau aproveitou lançamento em profundidade para a área e encobriu o goleiro Reichel. A Stiinta já poderia tirar vantagem do gol marcado fora de casa. Ticleanu fez um lindo passe para o baixinho Zoltan Crisan, que bateu forte com a perna direita, aos 26 minutos. O placar acabaria mesmo em 3×2, mas um time que havia conseguido se recuperar depois de sofrer 3×0 no segundo tempo, a situação estava totalmente reversível. Como foi revertida.

O Universitatea Craiova entrou definitivamente na história do futebol romeno em 16 de março de 1983
O Universitatea Craiova entrou definitivamente na história do futebol romeno em 16 de março de 1983

Era uma tarde de segunda-feira, 16 de março de 1983 quando a cidade de Craiova viveu a maior alegria no seu futebol em competições internacionais. Com a força da torcida no Central e com Balaci de volta, o Universitatea Craiova tinha tudo para passar pelos alemães. Muitos dos seus jogadores eram da seleção romena e era a equipe que tinha o melhor jogador romeno daquele tempo. A defesa, composta por Neculai Tilihoi e o “Ministro da Defesa”, Costica Stefanescu, conseguia conter os ataques rápidos do Kaiserslautern. Na frente, a sorte não havia aparecido aos donos da casa, e a prova está na falta belamente cobrada por Balaci na forquilha direita de um Reichel inspirado, no primeiro tempo. E no segundo, com Geolgau, finalizando pra fora após ter aplciado um chapéu em Dusek. O Universitatea Craiova atacava, mas o gol não saía.

Até os 37 minutos do segundo tempo, na única falha comprometedora do Kaiserslautern. Balaci cruzou e Duzek furou o domínio da bola, que sobrou para Nicolae Negrila. O lateral direito não perdoou e mandou uma bomba quase da pequena área. Era o gol da classificação. A massa no Estádio Central ia ao êxtase. Craiova ia conquistando a Europa com um time de futebol ofensivo, rápido e criativo, sem deixar de lado a defesa comandada pelo capitão Stefanescu, um dos maiores da Romênia em sua posição.

16 de março de 1983 é uma data muito bem recordada, não só pelos torcedores e pelos oltênios, mas por toda a Romênia, que acompanhou e vibrou muito com a que até então era a melhor campanha de um clube nacional em competições da UEFA. Era o primeiro time romeno a chegar tão longe na Copa da UEFA. Com o apoio de todo o país, viria um dos apelidos do time: Campioana Unei Mare Iubiri (Campeã de um Grande Amor), após a eliminação pelo Benfica por gols fora nas semifinais.

Universitatea Craiova 1×0 KaiserslauternEstádio Central, Craiova, Distrito de Dolj, Oltênia, Romênia
Segunda-feira, 16 de março de 1983
Jogo de volta das quartas-de-final da Copa da UEFA 1982-83


Universitatea Craiova: Lung; Ungureanu, Stefanescu, Tilihoi, Negrila; Ticleanu, Geolgau (Cârtu 30′-2ºt), Balaci, Donose; Crisan (Beldeanu-int) e Camataru
Técnico: Constantin Otet

Kaiserslautern: Reichel; Briegel, Wolf, Dusek, Melzer; Eilenfeldt (Hubner 38′-2ºt), Geye, Brehme, Bongartz; Allofs e Nilsson
Técnico: Rudi Kröner

Gol: Nicolae Negrila (37′-2ºt)

Árbitro: Keith Hackett (Inglaterra)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s