Arges Pitesti e Politehnica Timisoara utilizam antigos escudos usados na segunda metade do século XX
Arges Pitesti e Politehnica Timisoara utilizam antigos escudos usados na segunda metade do século XX

Após inúmeras mudanças de dono, razão social, e até mesmo de nome nos anos 2000 (sem falar na fusão com o AEK Bucareste em 2002), o FC Politehnica Timisoara foi extinto em 3 de setembro de 2012, com 91 anos de existência e meses após ter conquistado o vice-campeonato romeno. O FC Arges Pitesti, clube fundado em 1953 e que revelou um dos maiores jogadores da história da Romênia, Nicolae Dobrin, foi extinto ao final da temporada 2012-13, após perambular pela segunda divisão num rebaixamento por manipulação de resultados promovida pelo então presidente do clube, Cornel Penescu. Mas em 6 de dezembro de 2014, estes dois dos mais tradicionais clubes do futebol romeno se enfrentam num amistoso de comemoração do aniversário de 93 anos da Politehnica Timisoara, graças a projetos feitos por torcedores que refundaram as equipes nas divisões inferiores com o reconhecimento de todas as torcidas – algo muito diferente do que vemos em Craiova, por exemplo. Estes projetos contam com programas de sócio-torcedor, lojas online e produtos licenciados, coisas impensáveis em muitos clubes da elite romena. Além, claro, do apelo de identificação com o torcedor e do retorno às atividades.

Torcida de Pitesti abraçou o projeto do Arges e lota o pequeno Petrochimistul (foto: Cosmin Iftode)
Torcida de Pitesti abraçou o projeto do Arges e lota o pequeno Petrochimistul (foto: Cosmin Iftode)

A Poli Timisoara retornou em 2012, logo após a extinção, como um sucessor não-oficial da Politehnica original, mas com o reconhecimento de sua torcida. Agora com o nome Societatea Sportiva Politehnica Timisoara, o clube começou na Liga V, a quinta divisão romena. Logo ao final da temporada 2012-13, conquistou o acesso para a Liga IV com o segundo lugar no seu distrito, Timis. Na Liga IV, apenas o campeão teria o acesso, e a Poli ficou novamente com o vice. E agora, ao final do primeiro turno, o time é líder, um ponto à frente do Ripensia Timisoara, tradicionalíssima equipe antes da Segunda Guerra Mundial que também foi refundado.

O Arges Pitesti, por outro lado, retornou em 2014, com o nome de FC Arges 1953, mas ainda atende por “Arges”. A equipe começou já inscrita na Liga IV, e tem se dado bem no grupo do distrito de Arges. Após 13 partidas, a Viola está na segunda posição, cinco pontos atrás do líder Unirea Bascov, e tem o melhor ataque da competição: 55 gols, média de mais de quatro gols por partida.

Torcedores da Poli fazem a festa com direito a sinalizadores na vitória sobre o Marcel Băban Jimbolia por 3x2 fora de casa, pela Liga IV
Torcedores da Poli fazem a festa com direito a sinalizadores na vitória sobre o Marcel Băban Jimbolia por 3×2 fora de casa, pela Liga IV (foto: Razvan Chelbea)
O Arges tenta subir para a Liga III em sua primeira temporada pós-extinção (foto: Cosmin Iftode)
O Arges tenta subir para a Liga III em sua primeira temporada pós-extinção (foto: Cosmin Iftode)

Apesar do grande reconhecimento das torcidas dos clubes originais fundados em 1921 e 1953, Poli Timisoara e Arges não estão nos seus estádios tradicionais: A Poli não joga no Dan Păltinișanu, que possui mais de 30 mil lugares, mas sim no Estádio Stiinta (ciência, em romeno), com capacidade para mil torcedores, localizado entre os cursos de  Engenharia Mecânica, Arquitetura e Eletrotécnica, e da Bibilioteca da Universidade Politécnica de Timisoara, a origem do clube em 1921. E o Arges não voltou ao Estádio Municipal Nicolae Dobrin com cerca de 17 mil lugares. O time que revelou Adrian Mutu manda seus jogos no pequeno Estádio Petrochimistul (petroquímico, em romeno), localizado no Colégio Técnico Costin N. Denitescu.

Isto acontece porque tanto Arges quando Poli possuem os seus “clones”. O Arges, aliás, possui quase dois. “Quase” porque o SCM Argesul Pitesti, clube que disputa a Liga III, usa a mesma cor (roxo) e jogou contra o FC Universitatea Craiova na quarta fase da Copa da Romênia 2013-14, foi fundado pela prefeitura em 2010, antes da extinção do Arges original. Outro clone, mais forte, é o Academica Arges Pitesti, que disputa a Liga II nesta temporada. É o antigo FC Clinceni, que era o CS Buftea. Por estar em melhor nível competitivo, é um clube que divide mais as atenções com o FC Arges 1953. Já a Poli tem como clone o alvinegro ACS Poli Timisoara, fundado em 2012. É o antigo Rocar Bucareste, que se mudou para Timisoara e disputou a Liga I em 2013-14. Estes clubes jogam nos estádios originais do Arges Pitesti e da Politehnica Timisoara.

10671477_712599852157813_4110722334683559857_n
Aos 35 anos, o meia Leonard Naidin é o craque no meio campo da Poli, O jogador também já jogou no clube de 1998 a 2001 e de 2005 a 2007 (foto: Razvan Chelbea)

No próximo dia 6, no Estádio Stiinta, em Timisoara, a Politehnica comemora seus simbólicos 93 anos com o Arges. Os dois clubes, que hoje disputam a Liga IV, já foram gigantes do futebol romeno, figurando nas primeiras posições da elite e sempre incomodando Steaua, Dinamo, Rapid e U Craiova. Mesmo sem o reconhecimento oficial, num futebol romeno tão envolvido com corrupção e até mesmo crime organizado, as torcidas de Timisoara e Pitesti têm dado uma aula de amor ao esporte trazendo de volta a tradição de suas cidades e de seus times. Se tudo der certo, em 2017-18, Politehnica Timisoara e Arges Pitesti voltarão à Liga I, naquele clichê, “de onde nunca deveriam ter saído”.

Conheça melhor os dois violetii

Arges Pitesti
Fundação: 1953
Títulos:
2 Liga I (1971-72 e 1978-79)
4 Liga II (1960–61, 1962–63, 1993–94, 2007–08)
Desempenhos na Europa:
2 Participações na Champions League
5 Participações na Liga Europa
Jogadores importantes:
Adrian Mutu
Nicolae Dobrin
Cristian Tanase
Andrei Prepelita
Nicolae Dica
Marin Radu
Curiosidades:
-Foi o primeiro clube romeno a vencer o Real Madrid. Na segunda fase da Champions League 1972-73, a Viola bateu os merengues por 2×1 em Pitesti, mas uma derrota por 3×1 na Espanha decretou a queda do Arges na competição.
Politehnica Timisoara
Fundação: 1921
Títulos:
2 Copas da Romênia (1957–58, 1979–80)
10 Liga II (1973–1974, 1980–1981, 1982–1983, 1991–1992, 2006–2007, 2008–2009)
Jogadores importantes:
Iosif Rotariu
Emerich Dembrovschi
Costel Pantilimon
Gabriel Torje
Iasmin Latovlevici
Cosmin Contra
Viorel Moldovan
Banel Nicolita
Laszló Sepsi
Ionel Ganea
Srdjan Luchin
Ion Timofte
Desempenhos na Europa:
1 Participação na Champions League
6 Participações na Liga Europa (Fase de Grupos em 2009-10)
1 Participação na Copa dos Campeões de Copas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s