Facut in Brazilia: Roberto Ayza fala sobre o Mioveni e a grande campanha na Copa da ROmênia

Ayza (centro) comemora emocionado o gol da vitória sobre o Dinamo com seus companheiros (foto: Gazeta Sporturilor)
Ayza (centro) comemora emocionado o gol da vitória sobre o Dinamo com seus companheiros (foto: Gazeta Sporturilor)
Aos 33 anos, o brasileiro é um dos líderes e destaques do Mioveni foto: Prosport)
Aos 33 anos, o brasileiro é um dos líderes e destaques do Mioveni (foto: Prosport)

O Craiovano retorna com uma série que fez sucesso no primeiro semestre deste ano, a Facut in Brazilia. Desta vez, o retorno traz um novo bate-papo com o primeiro jogador brasileiro que concedeu uma entrevista ao blog: Roberto Ayza, do Mioveni.

Após evitar o rebaixamento para a Liga III na última temporada, a equipe verde-amarela tem nova receita: Desta vez com técnico novo (Claudiu Niculescu, ex-FC Universitatea Craiova), salários em dia e nova função tática, Ayza tem vivido um ótimo começo em seu quinto ano no Mioveni: Após nove partidas, o clube está na zona de classificação para os play-offs, no 5ºlugar. Um desempenho bem diferente da temporada anterior quando a equipe, no comando de Marius Stoica, perambulava na zona de repescagem.

Além do bom começo na segunda divisão, o Mioveni de Ayza está classificado para as quartas-de-final da Copa da Romênia, após ter eliminado o atual campeão Astra Giurgiu na 6ª fase  e um dos maiores clubes do país, o Dinamo Bucareste, nas oitavas-de-final. Ontem, contra o Dinamo, o placar foi 1×0, com um gol do brasileiro cheio de oportunismo. E não é qualquer time pequeno da Romênia que consegue chegar tão longe, com times de níveis e orçamentos tão desiguais.

Aos 33 anos, o meia e atacante Roberto Ayza retorna à série Facut in Brazilia e conversa sobre as mudanças entre as temporadas, a campanha surpreendente na Copa da Romênia até aqui e sobre os próximos passos na sua carreira.

O Craiovano –  O Mioveni escapou do rebaixamento na última temporada, e agora vem mantendo boas posições na Liga II, inclusive com um baita desempenho na Copa da Romênia. O que mudou entre as temporadas?
Roberto Ayza –
Primeiramente porque mudou o treinador [Claudiu Niculescu chegou ao clube após boa campanha com o Râmnicu Vâlcea na Liga II 2013-14]. E depois, eles começaram a pagar em dia.

O Craiovano – Você tem atuado melhor, feito mais gols e dado mais passes, ou na sua opinião o nível tem sido mantido?
RA –
Neste ano eu estou jogando mais de ponta-esquerda, num sistema 4-3-3. Fica mais dificil de fazer gols do que jogando de atacante. Mas estou contribuindo mais com o time assim, acredito que eu esteja em melhor forma apesar de ter marcado só dois gols na Copa.

O Craiovano –  A Liga I está mais próxima agora? Considera o Mioveni como uma das equipes favoritas ao acesso?
RA – O Mioveni está com um grupo muito bom de jogadores, esperamos fazer um bom campeonato e subir pra Liga I. Vai depender só de nós.

O Craiovano – Na Copa da Romênia, eliminar os atuais campeões do Astra já havia sido um feito histórico. Muitos achavam que seria apenas esta vitória, mas aí vocês chegam contra o Dinamo e vencem também, e o país parece bem surpreso com a classificação. A comissão técnica e os jogadores também ficaram surpresos com estes resultados na Copa?
RA – Na verdade nem nos acreditávamos que chegaríamos nas quartas-de-final. conseguimos essas vitórias contra o Astra e contra o Dinamo porque não temos nada a perder, só a ganhar. Jogando contra times grandes do país, todo mundo esta te vendo, então você da o sangue no campo. Graças a Deus nós conseguimos a classificação.

O Craiovano – As partidas contra Dinamo e Astra foram muito diferentes? Vocês foram com o mesmo pensamento para as duas partidas?
RA – Foram dois jogos diferentes, mas com o mesmo objetivo: Nos defender e sair pro contra-ataque. E nos dois jogos os nossos gols saíram assim, no contra-ataque.

O Craiovano – Até onde é possível o Mioveni ir na Copa? Muito provavelmente o time será o único de fora da Liga I a ainda disputar o torneio, e não é muito comum as equipes ditas menores chegarem tão longe.
RA – Sinceramente, se chegamos até aqui ganhando de dois times grandes, esperamos chegar mais longe. Aqui na Romênia é muito difícil um time da segunda divisão nos dias de hoje chegar onde a gente chegou. Esperamos fazer história.

O Craiovano – O gol da classificação contra o Dinamo foi marcado por você e num período conturbado na sua vida pessoal, com a perda de seu pai. O momento do gol e da classificação foi mais especial por isto?
RA – Com certeza, foi um gol especial pra mim pelo momento que eu passei. Agradeço a comissão técnica, que acreditou em mim e me colocou pra jogar de titular mesmo ficando 10 dias sem treinar por causa destes problemas. Graças a Deus eu correspondi às expectativas e consegui fazer o gol da vitória.

O Craiovano – Quando nos falamos em março, você disse que a situação financeira do Mioveni era bastante delicada. As coisas se estabilizaram?
RA –
 Sim, com a vinda do novo treinador, eles nos prometeram que se a gente tivesse bons resultados ele [Niculescu] iria lutar pelos nossos direitos. E foi o que aconteceu. Estamos com a situação financeira estabilizada.

O Craiovano – Você recebeu propostas para sair do clube no fim da temporada?
RA – Não recebi propostas, mas também nem queria sair. Minha esposa estava grávida e eu queria estar ao lado dela nesse momento.

O Craiovano – Após o fim do FC Universitatea Craiova, os jogadores Ionut Mirzeanu e Claudiu Balan [ambos com 20 anos] ficaram sem contrato e foram contratados pelo Mioveni. Como eles estão se saindo no Mioveni? Têm jogado, têm contribuído?
RA – São jogadores que vão crescer muito com o tempo, tem qualidades os dois. O Mirzeanu jogou mais que o Balan. Mas estão contribuindo bem nos jogos quando entram, sim.

O Craiovano – Aos 33 anos, você vê muita estrada pela frente como jogador? Você imagina seu futuro, você encerrando sua carreira no Mioveni ou no Brasil?
RA – Eu tô correndo feito um menino de 23 anos (risos). Mas sério, estou bem fisicamente e meu físico ajuda. Espero jogar até quando puder correr, se não puder mais correr eu me aposento. No Brasil, não penso em jogar mais até pelo fato de eu estar com 33 anos. Acredito que vou encerrar minha carreira por aqui mesmo.

Confira a entrevista anterior d’O Craiovano feita com Roberto Ayza clicando aqui

E abaixo, os melhores momentos e o gol de Ayza em Mioveni 1×0 Dinamo Bucareste:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s