România Mondiala: 1994, o auge e o duelo histórico com a Argentina

romeniahome
Antes do jogo da classificação contra os EUA. Em pé: Prunea, Popescu, Prodan, Petrescu, Belodedici e Raducioiu. | Agachados: Hagi, Munteanu, Lupescu, Selymes e Dumitrescu

A Copa do Mundo de 1994 foi uma das mais marcantes da história, e muito disto se deve ao desempenho da seleção romena na 85competição. Foi a primeira vez em que a equipe participava de duas Copas do Mundo consecutivas desde a sequência 1930-1934, e desta vez com o melhor time da história do país. Hagi, Raducioiu, Dumitrescu, Popescu e Belodedici são nomes com muitas chances de serem lembrados por quem ama futebol e acompanhou aquela Copa. Foi também o primeiro mundial com o uniforme mais conhecido da Romênia, todo amarelo com detalhes em azul e vermelho (diferente dos anos anteriores, com camisa amarela, bermuda azul e meiões vermelhos). E diferente da Copa de 1990, quando a classificação foi decidida no último jogo das eliminatórias contra a Dinamarca, para a edição de 1994 o caminho rumo aos Estados Unidos foi muito mais tranquilo.
Eram 39 seleções europeias divididas em seis grupos, disputando doze vagas. Ou seja, o primeiro e o segundo colocado de cada grupo se classificariam para a Copa do Mundo, sem mistério ou repescagem. A Nationala caiu no Grupo 4, com Bélgica, Tchecoslováquia, País de Gales, Chipre e Ilhas Faroe. Foram 10 jogos, 15 pontos, 7 vitórias (vitórias valiam dois pontos), 1 empate, 2 derrotas, 29 gols pró e 12 contra. A primeira posição no grupo foi assegurada no saldo de gols. A Bélgica acumulou 15 pontos também, mas marcou 16 gols e sofreu 5.

Vale lembrar a situação peculiar pela qual passava a Tchecoslováquia, que ficou em 3º lugar com 13 pontos. Em 1993, com as eliminatórias em andamento, o país se desmembrou em República Tcheca e Eslováquia. Mas a seleção continuou existindo e representando eslovacos e tchecos para que as eliminatórias pudessem ser encerradas. Algo semelhante com o que aconteceu com Sérvia e Montenegro em 2006

Jogos da Romênia nas eliminatórias da Copa do Mundo de 1994

Romênia 7×0 Ilhas Faroe – 06/05/1992
Romênia 5×1 País de Gales – 20/05/1992
Bélgica 1×0 Romênia – 14/10/1992
Romênia 1×1 Tchecoslováquia – 14/11/1992
Chipre 1×4 Romênia – 20/11/1992
Romênia 2×1 Chipre – 14/04/1993
Tchecoslováquia 5×2 Romênia – 02/06/1993
Ilhas Faroe 0x4 Romênia – 08/09/1993
Romênia 2×1 Bélgica – 13/10/1993
País de Gales 1×2 Romênia – 17/11/1993

Nos Estados Unidos

Raducioiu comemora contra a Colômbia: o atacante foi artilheiro da Nationala com 4 gols (foto: FIFA)
Raducioiu comemora contra a Colômbia: o atacante foi artilheiro da Nationala com 4 gols (foto: FIFA)

Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificavam para as oitavas-de-final, junto com os quatro melhores terceiros. O grupo da Romênia era o Grupo A, dos anfitriões, da Suíça e também da Colômbia, que prometia muito para aquela Copa, principalmente após a goleada por 5×0 aplicada na Argentina em pleno Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. Aliás, os colombianos foram os primeiros adversários, há exatos 20 anos. Aos 15 minutos, Hagi começava a dar uma pequena amostra do que faria nos Estados Unidos. Com um drible de corpo, se livrou do marcador e partiu do meio de campo rumo à intermediária, e lançou Raducioiu. O atacante dominou, puxou pra perna direita para se livrar de Perea e fuzilou no canto esquerdo de Córdoba.  E tinha mais. Vale lembrar que na época Hagi jogava no Brescia, na segunda divisão italiana.

Aos 34, Petrescu tocou para Hagi na esquerda. Após o domínio, foram necessários cinco passos e um toque na bola. O que se viu depois no Estádio Rose Bowl, em Pasadena, Califórnia, foi mágico. O camisa 10 deu um chute de efeito com a perna canhota, após ver Córdoba adiantado. Golaço. Por cobertura. Quem de fato acompanhou a Copa do Mundo de 1994 não esqueceria mais. A Romênia não era mais terra de Drácula, de vampiros, não seria lembrada apenas pela Transilvânia por estas pessoas. A Romênia era agora a terra de Gheorghe Hagi.

Nove minutos depois, cobrança de escanteio colombiana e o atacante Adolfo Valencia cabeceou no alto para diminuir. E mesmo após uma pressão da Colômbia, o dia era da Romênia. Hagi cobrou falta rápido no finalzinho do jogo pela esquerda. Raducioiu se livrou do goleiro Córdoba e sacramentou o primeiro passo rumo a uma campanha heroica.


Os gols da partida com direito a áudio da TVR1, em romeno

Quatro dias depois, um baque na equipe do técnico Anghel Iordanescu. O adversário era a Suíça de Roy Hodgson, atual técnico da Inglaterra. No Estádio de Detroit, Michigan, quem abriu o placar foi o meia Alain Sutter, fuzilando no canto esquerdo de Stelea após cruzamento pela direita e o toque de Chapuisat fazendo o pivô. Hagi empatou aos 35, arriscando um belo chute de fora da área. Mas foi só. No segundo tempo, chocolate suíço. Aos 7 minutos, na cobrança de escanteio, Stelea saiu de soco, a zaga não afastou, e um bate e rebate dentro da área resultou no gol do atacante Chapuisat, recebendo livre para desempatar. Aos 20, Sforza partiu livre de marcação pelo meio, deu uma meia-lua em Prodan e na saída do goleiro tocou para Knut, livre, que ampliou para 3×1. E aos 27, Bregy cobrou falta alçando a bola na grande área. Um desvio de Knut matou Stelea e fechou o placar. Um erro de percurso, 4×1 para a Suíça.

Na última rodada, a Nationala enfrentou os anfitriões estadunidenses, em 26 de junho de 1994, no Rose Bowl. Como a Colômbia já eliminada venceu a Suíça, bastou o único gol de Petrescu aos 18 minutos do primeiro tempo. Hagi começou a jogada pela esquerda, e numa linda troca de passes, parou em Petrescu, que chutou direto pro gol quando o goleiro Meola contava com o cruzamento. A vitória assegurou a classificação romena para as oitavas-de-final, pela segunda vez consecutiva. E de quebra, em primeiro lugar do Grupo A. O próximo adversário era ninguém menos que a Argentina, de Maradona. De novo.

Grupo A J V E D GP GC SG Pts
 Romênia 3 2 0 1 5 5 0 6
  Suíça 3 1 1 1 5 4 +1 4
 EUA 3 1 1 1 3 3 0 4
 Colômbia 3 1 0 2 4 5 −1 3
Iordanescu é abraçado pelos jogadores após a épica vitória sobre a Argentina (foto: Getty Images)
O técnico Iordanescu é ovacionado pelos jogadores após a épica vitória sobre a Argentina (foto: Getty Images)

A Argentina estava no mesmo grupo da Romênia na Copa de 1990. Um empate em 1×1 garantiu a classificação das duas para as oitavas. Os romenos haviam caído para a Irlanda nos pênaltis. Os argentinos chegaram à final e perderam para a Alemanha. Quatro anos depois, o confronto era mata-mata, no Rose Bowl, em 3 de julho. Maradona não estava mais na equipe, havia sido pego no anti-doping. Mas a Argentina ainda era muito forte.

O placar foi aberto rapidamente, aos 11 minutos do primeiro tempo. E com gol romeno. Numa falta quase na quina da área, o atacante Ilie Dumitrescu fez um golaço cobrando direto, semelhante ao gol de Hagi contra a Colômbia e que Ronaldinho Gaúcho faria oito anos depois contra a Inglaterra.

Mas seis minutos depois, pênalti para a Argentina. Ortega passou para Batistuta, que dentro da área foi derrubado por Prodan. Ele mesmo cobrou, Prunea para a esquerda, bola para a direita, 1×1 e eram apenas 16 minutos de jogo. A Romênia, guerreira, tinha a dupla Hagi e Dumitrescu numa tarde inspirada. Logo após o empate argentino, Hagi fez boa tabela pela direita e na quina da grande área, achou uma brecha para lançar o camisa 11 de cara pro gol, só para tirar de Islas. Pro primeiro tempo, foi “só”

Era uma partida que pedia um gol de Hagi, para a sua consagração, para matar o jogo. A chance foi aproveitada aos 12 minutos da etapa complementar. Contra-ataque fulminante após escanteio argentino. Dumitrescu partiu pra cima da marcação. Viu Selynes correndo solto pela esquerda, preferiu esperar e retribuir Hagi na direita. Só rolou para o Maradona dos Cárpatos encher o pé e fazer o terceiro. Quando a Argentina foi fazer o segundo, já eram passados 29 minutos do 2º tempo. Cáceres mandou a bomba de fora da área, Prunea bateu roupa e Balba completou pro gol. A partida acabou mesmo em 3×2. Já era a melhor campanha romena em uma Copa do Mundo. Dumitrescu, Hagi & cia. ltda. já eram a Generatia de Aur. A Geração de Ouro).

Restavam agora oito países na Copa do Mundo, e a Romênia estava entre eles. Os confrontos eram Romênia x Suécia, Holanda x Brasil, Bulgaria x Alemanha e Itália x Espanha. Em 10 de julho de 1994, 83,5 mil pessoas foram ao Stanford Stadium, em Stanford, região de San Francisco, na Califórnia, para assistir a uma partida que seria definida somente nos pênaltis. E o placar foi aberto na segunda metade da etapa complementar. Schwarz cobrou falta ensaiada, a defesa romena foi ingênua e Tomas Brolin ficou livre para estufar as redes aos 33 minutos. O empate foi heróico, no finalzinho do jogo, aos 43, também na bola parada. A cobrança da falta desviou na barreira e sobrou para Raducioiu completar. Viria a prorrogação. E a virada. Hagi tentou entrar na grande área e foi desarmado, mas a defesa deu bobeira na saída e a bola sobrou na meia-lua para Raducioiu. O camisa 9 não perdoou a falha sueca e chutou forte no canto esquerdo de Ravelli, aos 11 do 1º tempo da prorrogação. E na sequência, Schwarz foi expulso. A Romênia estava agora com um jogador a mais.

Faltavam a cinco minutos para o melhor time da história do futebol romeno chegar às semi-finais da Copa do Mundo e enfrentar o Brasil, que havia vencido a Holanda um dia antes. Mas um levantamento na área e uma falha grotesca de Prunea levaram o jogo para os pênaltis. Kennet Andersson cabeceou, o goleiro catou borboleta e o placar chegava a 2×2. Mas logo depois, Prunea se redimiu. Andersson lançou Dahlin na direita em profundidade. O atacante bateu cruzado, o goleiro romeno fez boa defesa, e no rebote, Henrik Larsson (aquele mesmo, na época tinha 22 anos!), dominou errado, e atrasou o chute. Deu tempo para o camisa 1 chegar e fazer uma defesa salvadora.

Chegava o apito final, e com ele, os pênaltis. Mild iniciou a série sueca, e isolou. A Romênia manteve a vantagem. Hagi e Lupescu marcaram. Andersson, Brolin e Ingesson também. Chegava a vez de Dan Petrescu, que cobrou mal. Ravelli defendeu para empatar a disputa. Nilsson, Dumitrescu e Larsson acertaram suas cobranças. Belodedici não. Já nas cobranças alternadas, Ravelli defendeu e levou a Suécia para a semi-final contra o Brasil. Terminava assim a campanha do melhor time que o futebol romeno já teve. Um time que proporcionou partidas épicas que são lembradas até hoje. A Romênia finalmente tinha, para sempre, o seu lugar demarcado no futebol mundial.


Confira os melhores momentos deste jogo histórico num vídeo sueco

Diferentemente de 1990, quando apenas Rodion Camataru jogava no exterior, agora oito jogadores atuavam fora da Romênia: Selymes, Belodedici, Petrescu, Popescu, Munteanu, Lupescu, Hagi e Raducioiu. O Universitatea Craiova continuou fornecendo jogadores para a seleção romena, ambos reservas: O zagueiro Corneliu Papura e o meia Ovidiu Stinga (que foi técnico do CS Universitatea Craiova até o ínicio deste ano, quando chegou Gavril Balint). No mais, a oligarquia de Bucareste foi afetada pela quantidade de jogadores atuando fota da Romênia. Em 1990, 17 dos 22 jogadores vinham de clubes da capital. Em 1994, foram dez. Houve mais equilíbrio entre Steaua, Dinamo e Rapid. Destaque também para o Petrolul, que continuou com o terceiro goleiro, e o Brasov, com o atacante reserva Marian Ivan.

P. Nome Idade Clube
1 G Florin Prunea 25 anos  Dinamo Bucareste
12 G Bogdan Stelea 26 anos  Rapid Bucareste
22 G Stefan Preda 23 anos  Petrolul Ploiesti
13 LE Tibor Selymes 24 anos  Cercle Brugge-BEL
13 L* Miodrag Belodedici 24 anos  Valencia-ESP
2 LD Dan Petrescu 26 anos  Genoa-ITA
3 Z Daniel Prodan 22 anos  Steaua Bucareste
6 Z Gheorghe Popescu 26 anos  PSV Eindhoven-HOL
14 Z Gheorghe Mihali 28 anos  Dinamo Bucareste
19 Z Corneliu Papura 20 anos  Universitatea Craiova
7 V Dorinel Munteanu 25 anos  Cercle Brugge-BEL
8 V Iulian Chirita 27 anos  Rapid Bucareste
18 V Constantin Gâlca 22 anos  Steaua Bucareste
5 M Ioan Lupescu 25 anos  Bayer Leverkusen-ALE
10 M Gheorghe Hagi [C] 29 anos  Brescia-ITA
15 M Basarab Panduru 23 anos  Steaua Bucareste
20 M Ovidiu Stinga 21 anos  Universitatea Craiova
9 A Florin Raducioiu 24 anos  Milan-ITA
11 A Ilie Dumitrescu 25 anos  Steaua Bucareste
16 A Ion Vladoiu 25 anos  Rapid Bucareste
17 A Viorel Moldovan 21 anos  Dinamo Bucareste
21 A Marian Ivan 25 anos  Brasov

Técnico: Anghel Iordanescu

*Líbero

Quantidade de jogadores por cidade/clube:
Bucareste: 10
Steaua: 4
Dinamo: 3
Rapid: 3
Craiova: 2
Universitatea
Ploiesti: 1
Petrolul
Brasov: 1
FC Brasov
8 jogadores do exterior: 3 da Itália, 2 da Bélgica, 1 da Espanha, 1 da Alemanha e 1 da Holanda.

Confira as fichas técnicas das partidas da Romênia na Copa do Mundo de 1994:
_________________________________________

Romênia 3×1 Colômbia – Rose Bowl, Pasadena (Los Angeles), Califórnia, Estados Unidos
Sábado, 18 de junho de 1994
Público: 91.856

Romênia: Stelea; Petrescu, Belodedici, Popescu, Prodan; Mihali; Munteanu, Lupescu, Hagi [c]; Dumitrescu (Selymes 20′-2ºt) e Răducioiu (Papura 45′-2ºt)
Técnico: Anghel Iordanescu

Colômbia: Cordoba; Escobar, Herrera, W.Pérez, Perea; Alvarez, Valderrama [c], Gómez, Rincón; Valencia e Asprilla
Técnico: Francisco Maturana

Trio de arbitragem: Jamar Al Sharif (Síria), auxiliado por Yousif Abdullah Al Ghattan (Bahrein) e Douglas Micael James (Trinidad e Tobago)

Gols: Florin Raducioiu (16′-1ºt e 43′-2ºt), Gheorghe Hagi (34’2ºt) e Adolfo Valencia (43′-2ºt)
_______________________________________

Suíça 4×1 RomêniaPontiac Silverdome, Pontiac (Detroit), Michigan, Estados Unidos
Quarta-feira, 22 de junho de 1994
Público: 61.428

Suíça: Pascolo; Hottiger, Herr, Geiger, Quentin; Ohrel (Sylvestre 37′-2ºt), Sforza, Brégy [c], Knup; Sutter (Bickel 25′-2ºt) e Chapuisat
Técnico: Roy Hodgson-ING

Romênia: Stelea; Petrescu, Belodedici, Gh.Popescu, Prodan; Mihali, Munteanu, Lupescu (Panduru 40′-2ºt), Hagi [c]; Dumitrescu (Vladoiu 25′-2ºt) e Răducioiu
Técnico: Anghel Iordanescu

Trio de arbitragem: Neji Jouini (Tunísia), auxiliado por Abdel-Magid Hassan (Egito) e Davoud Fanaei (Irã)

Gols: Alain Sutter (16′-2ºt), Gheorghe Hagi (36′-2ºt), Stephane Chapuisat (8′-2ºt), Adrian Knup (21′-2ºt e 28′-2ºt)

_______________________________________

Estados Unidos 0x1 Romênia – Rose Bowl, Pasadena (Los Angeles), Califórnia, Estados Unidos
Domingo, 26 de junho de 1994
Público: 93.869

Estados Unidos: Meola [c]; Clavijo, Lalas, Balboa, Caligiuri; Ramos (Jones 18′-2ºt), Dooley, Harkes, Sorber (Wegerle 30′-2ºt) – Stewart, Wynalda
Técnico: Bora Milutinovic (IUG)

Romênia: Prunea; Petrescu, Prodan, Belodedici (Mihali 43′-2ºt), Popescu, Selymes; Munteanu, Lupescu, Hagi [c]; Dumitrescu e Răducioiu (Gâlcă 38′-2ºt)
Técnico: Anghel Iordanescu

Trio de arbitragem: Mario van der Ende (Holanda), auxiliado por Jan Dolstra (Holanda) e Gordon Dunster (Austrália)

Gol: Dan Petrescu (18′-1ºt)
_______________________________________

Romênia 3×2 Argentina Rose Bowl, Pasadena (Los Angeles), Califórnia, Estados Unidos
Domingo, 3 de julho de 1994
Público: 90.469

Romênia: Prunea; Petrescu, Prodan, Belodedici, Mihali, Selymes; Popescu, Munteanu, Lupescu; Hagi [c] (Gâlcă 39′-2ºt) e Dumitrescu (Papura 44′-2ºt)
Técnico: Anghel Iordanescu

Argentina: Islas; Sensini (Medina Bello 17′-2ºt), Ruggeri [c], Caceres, Chamot; Basualdo, Simeone, Ortega, Redondo;  Balbo, Batistuta
Técnico: Alfio Basile

Trio de arbitragem: Pierluigi Pairetto (Itália), auxiliado por Domenico Ramicone (Itália) e Luc Adellyn Matthys (Bélgica)

Gols: Ilie Dumitrescu (9′-1ºt e 18′-2ºt), Gabriel Batistuta (15′-1ºt), Gheorghe Hagi (12′-2ºt) e Abel Balbo (30′-2ºt)
________________________________________

Suécia 2×2 Romênia (5×4 P.K.) – Stanford Stadium, Stanford (San Francisco), Califórnia, Estados Unidos
Domingo, 10 de julho de 1994
Público: 83.500

Suécia: Ravelli; Nilsson [c], P. Andersson, Björklund (Kåmark 38′-2ºt), Ljung; Schwarz, Mild, Ingesson, Brolin; Dahlin (Larsson int-pro) e K. Andersson
Técnico: Tommy Svensson

Romênia: Prunea; Petrescu, Prodan, Belodedici, Popescu, Selymes; Munteanu (Panduru 38′-2ºt), Lupescu, Hagi [c]; Dumitrescu e Răducioiu
Técnico: Anghel Iordanescu

Trio de arbitragem: Philip Don (Inglaterra), auxiliado por Roy Pearson (Inglaterra) e Park Hae-Yong (Coreia do Sul)

Gols: Tomas Brolin (33′-2ºt), Florin Raducioiu (43′-2ºt e 11′-1ºt.ex.) e Kennet Andersson (10′-2ºt.ex.)

Pênaltis:
Mild X – Raducioiu 1
K. Andersson 1 – Hagi 2
Brolin 2 – Lupescu 3
Ingesson 3 – Petrescu X
Nilsson 4 – Dumitrescu 4
Larsson 5  Belodedici X

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s