România Mondiala: 1990 e o início da Geração de Ouro

Antes do jogo decisivo contra a Argentina. Em pé: Lung, Popescu, Andone, Sabau, Klein e Hagi.  Agachados: Lacatus, Balint, Rednic, Rotariu e Lupescu (foto: Getty Images
Antes do jogo decisivo contra a Argentina. Em pé: Lung, Popescu, Andone, Sabau, Klein e Hagi.
Agachados: Lacatus, Balint, Rednic, Rotariu e Lupescu (foto: Getty Images)
Milla, aos 38 anos, botava  para correr o futuro capitão do Barcelona, Gheorghe Popescu de 22 anos (foto: FIFA)
Milla, aos 38 anos, botava para correr o futuro capitão do Barcelona, Gheorghe Popescu, de 22 (foto: FIFA)

Depois de 1938, a Romênia esperou 32 anos até poder ver a Nationala mais uma vez em uma Copa do Mundo, e após o Brasil tem eliminado os romenos em 1970, eles só voltariam depois de mais 20 anos. Mas pelo menos, com uma equipe muito mais forte, que já contava com Silviu Lung (pai do atual goleiro do Astra Giurgiu, Silviu Lung Jr.), Gheorghe Popescu, Marius Lacatus, Rodion Camataru, Florin Raducioiu, e claro, Gheorghe Hagi. O país vivia um período conturbado politicamente, economicamente e socialmente. Havia menos de um ano desde a revolução iniciada em Timisoara e a execução do presidente comunista Nicolae Ceausescu e sua  esposa, Elena Petrescu. Apesar das tensões, a Romênia ensaiava boas atuações com uma equipe bastante forte, com jogadores campeões da Champions League pelo Steaua, como Lacatus, e com grandes jogadores da história do Universitatea Craiova, como Camataru e Lung, que levaram a Nationala para sua primeira participação em Eurocopas, em 1984.

Treze vagas eram disputadas na Europa para a Copa do Mundo. A 14ª já era da Itália, o país-sede. A Romênia caiu no equlibrado grupo 1, com Dinamarca, Grécia e Bulgária. Vale lembrar que apenas três grupos continham quatro equipes: o 1, o 2 e o 4. E o pior segundo colocado entre estes três não se classificaria para a Copa do Mundo. A Romênia não precisou disso, quem ficou com o segundo lugar foi a Dinamarca. A Nationala só foi perder na quinta rodada, em 11 de outubro de 1989, e para os dinamarqueses, que acabaram chegando à liderança do grupo com um ponto de diferença. Era obrigatório vencer os líderes em Bucareste para voltar à Copa do Mundo. E a Romênia venceu. Em 15 de novembro de 1989, No Estádio Steaua, a Dinamarca saiu na frente logo aos seis minutos do primeiro tempo, com Flemming Povlsen. Mas aos 25, Gavril Balint (isso mesmo, o técnico do CS Universitatea Craiova) empatou. E aos 38, o meia Ioan Sabau, do Dinamo Bucareste, fez o gol da virada. No segundo tempo, só pra colocar enterrar a Dinamarca de vez, Balint marcou de novo, aos 16 minutos. Depois de 20 anos, a Romênia voltava a uma Copa do Mundo.

Melhores momentos de Romênia 3×1 Dinamarca

Jogos da Romênia nas eliminatórias da Copa do Mundo de 1990

Bulgária 1×3 Romênia – 19/10/1988
Romênia 3×0 Grécia – 02/11/1988
Grécia 0x0 Romênia – 26/04/1989
Romênia 1×0 Bulgária – 17/05/1989
Dinamarca 3×0 Romênia – 11/10/1989
Romênia 3×1 Bulgária – 15/11/1989

Na Itália

A Romênia esteve no Grupo B da Copa de 1990, junto com Camarões, Argentina e a já enfraquecida União Soviética, contra a qual a Nationala estreou, há exatos 24 anos e dois dias, em 9 de junho de 1990. O atacante do Steaua Bucareste, Marius Lacatus, abriu o placar aos 42 minutos do primeiro tempo. Sabau lançou o camisa 7 na quina da pequena área e o artilheiro fuzilou pro gol. Aos 12 do segundo, o árbitro uruguaio Juan Daniel Cardellino deu uma grande ajuda pra Nationala. Lacatus partiu no mano-a-mano com o meio-campista Bezsonov, e tentou o drible. O soviético ucraniano colocou a mão na bola muito longe da área, mas o juiz marcou pênalti. O próprio Lacatus fez o segundo da Romênia e fechou a conta no Stadio San Nicola, em Bari.

Na segunda rodada, a Romênia enfrentou a surpreendente seleção de Camarões, do veterano Roger Milla, também em Bari, no dia 14.  Após um chutão do campo de defesa camaronês, o zagueiro Ioan Andone perdeu no jogo de corpo para Milla, que finalizou na saída de Lung aos 31 minutos do segundo tempo. Dez minutos depois, Milla marcou mais uma vez em uma bela finalização, após bobeira da zaga tricolor. Só deu tempo para Gavril Balint marcar o gol de honra, um minuto depois.

A última rodada chegou com Camarões como líder, após as vitórias sobre Argentina e Romênia. Os romenos estavam na segunda colocação, os argentinos em terceiro lugar, e os soviéticos na lanterna. Em 18 de junho, no Stadio San Paolo, Nápoles, a “segunda casa” de Diego Maradona, Romênia e Argentina se enfrentaram pela vaga direta rumo às oitavas-de-final. Um jogaço de bola que teve o placar aberto só na bola parada. Após cobrança de escanteio de Maradona, Monzón subiu sozinho aos 18 minutos do segundo tempo cabeceou e abriu o placar para a Argentina, com direito a comemoração escandalosa de Maradona. Era mais um jogo decisivo, assim como o contra a Dinamarca, nas eliminatórias, em que os romenos saíam atrás. A Nationala precisava pelo menos empatar para terminar na segunda posição.

E nem demorou muito. Aos 23, Popescu tocou de letra para Balint, que lançou Lacatus pela direita e se mandou para a grande área. Lacatus cruzou no segundo pau, e o desvio romeno colocou a bola na cabeça de Gavril Balint, que não desperdiçou. 1×1, e a vaga nas oitavas estava garantida com o segundo lugar. Foi a primeira vez que a Romênia passou de fase em uma Copa do Mundo desde 1930. Mas a argentina também se classificou, já que terminou a fase de grupos entre os quatro melhores terceiros colocados.

Nas oitavas-de-final, o adversário foi a estreante Irlanda, que havia passado em segundo lugar do grupo F, que tinha Inglaterra, Holanda e Egito. A partida foi realizada em 25 de junho em Gênova, no Stadio Luigi Ferraris. O árbitro, aliás, era brasileiro. José Roberto Wright apitou o jogo que terminou por zero a zero depois da prorrogação. Foi a primeira disputa de pênaltis da história da Romênia em Copas do Mundo. A segunda viria quatro anos depois, contra a Suécia.

Hagi, Lupu, Rotariu e Lupescu acertaram suas cobranças. Após a quarta cobrança irlandesa , o meia Daniel Timofte, do Dinamo Bucareste, chutou mal e o goleiro Packie Bonner fez a defesa. Na sequência, o zagueiro do Arsenal David O’Leary deslocou Silviu Lung no último pênalti e classificou a Irlanda para as quartas-de-final, nas quais seria eliminada pela anfitriã Itália.

Hagi é conhecido pela Copa de 1994, mas deu trabalho em 1990. A finta em Chris Morris é só amostra (foto: FIFA)
Hagi é conhecido pela Copa de 1994, mas deu trabalho em 1990. A finta em Chris Morris é só amostra (foto: FIFA)

Poucos meses após a Revolução de 1989 e a transição para o capitalismo, a Nationala tinha apenas um jogador que atuava fora da Romênia. A debandada começou principalmente após 1994, mas o bom desempenho em 1990 também despertou o interesse de grandes clubes do oeste europeu. O atacante Rodion Camataru, jogador da geração Craiova Maxima pelo Universitatea Craiova, estava no Charleroi, da Bélgica. No geral, havia agora uma forte oligarquia de Bucareste, não mais com o Rapid, mas sim por Steaua (campeão da Champions League em 1985-86 sobre o Barcelona) e por Dinamo. Apenas quatro jogadores além de Camataru não eram dos dois grandes de Bucareste: Emil Sandoi e Adrian e Gheorghe Popescu, do Universitatea Craiova (Silviu Lung, o capitão da seleção, jogou no Universitatea Craiova de 1974 a 1988, e estava no Steaua desde então); e o terceiro goleiro, Gheorghe Liliac, do Petrolul Ploiesti.

Parêntese: O lateral-esquerdo Michael Klein jogou de 1977 a 1988 pelo tradicional Corvinul Hunedoara, desifiliado em 2004 pela FRF devido a acúmulo de dívidas e extinto desde então. Klein faleceu em decorrência de um ataque cardíaco em 2 de fevereiro de 1993, aos 34 anos, quando jogava pelo pequeno Bayer Uerdingen, da Alemanha. Na época, o clube disputava a Bundesliga. Após sua morte, o estádio do Corvinul foi rebatizado com seu nome, assim como aconteceu com Nicolae Dobrin (Arges Pitesti) e Ion Oblemenco (Universitatea Craiova).

O técnico Emerich Jenei comandava a Nationala desde 1986. Chegou a treinar o Universitatea Craiova em 1996, e se aposentou como treinador no comando da seleção em 2000. Como jogador, teve passagem mais marcante pelo Steaua entre 1957 e 1969, disputando mais de 200 partidas.

Curiosidade: o meia Ioan Lupescu é filho do lateral-direito e zagueiro Nicolae Lupescu, que jogou a Copa de 1970.

Goleiros:
1 – Silviu Lung (Steaua Bucareste), 33 anos
12 – Bogdan Stelea (Dinamo Bucareste), 22 anos
22 – Gheorghe Liliac (Petrolul Ploiesti), 34 anos
Lateral-esquerdo:
3 – Michael Klein (Dinamo Bucareste), 30 anos
Laterais-direitos:
2 – Mircea Rednic (Dinamo Bucareste), 28 anos
13 – Adrian Popescu (Universitatea Craiova), 29 anos
Zagueiros:
4 – Ioan Andone (Dinamo Bucareste), 31 anos
6 – Gheorghe Popescu (Universitatea Craiova), 22 anos
19 – Emil Sandoi (Universitatea Craiova), 25 anos
Volantes:
5 – Iosif Rotariu (Steaua Bucareste), 27 anos
11 – Danut Lupu (Dinamo Bucareste), 23 anos
Meias:
8 – Ioan Sabau (Dinamo Bucareste), 22 anos
10 – Gheorghe Hagi (Steaua Bucareste), 25 anos
15 – Dorin Mateut (Dinamo Bucareste), 24 anos
16 – Daniel Timofte (Dinamo Bucareste), 22 anos
19 – Zsolt Muzsnay (Steaua Bucareste), 24 anos
21 – Ioan Lupescu (Dinamo Bucareste), 21 anos
Atacantes:
7 – Marius Lacatus (Steaua Bucareste), 26 anos
9 – Rodion Camataru (Charleroi-BEL), 31 anos
14 – Florin Raducioiu (Dinamo Bucareste), 20 anos
17 – Ilie Dumitrescu (Steaua Bucareste), 21 anos
18 – Gavril Balint (Steaua Bucareste), 27 anos

Quantidade de jogadores por cidade/clube:
Bucareste: 17
Dinamo: 10
Steaua: 7
Craiova: 3
Universitatea
Ploiesti: 1
Petrolul

Confira as fichas técnicas das partidas da Romênia:

Romênia 2×0 União SoviéticaStadio San Nicola, Bari, Região de Puglia, Bari, Itália. Sábado, 9 de junho de 1990
Público: 42.907

Romênia: Lung [c] – Rednic, Andone, Gh.Popescu, Klein; Rotariu, Sabău, D.Timofte, Lupescu; Lăcătuş (Dumitrescu 42′-2ºt) e Răducioiu (Balint 35′-2ºt)
Técnico: Emerich Jenei

União Soviética: Dassajev [c] – Bessonov, Khidiatullin, Kuznetsov, Gorlukovich; Rats, Aleinikov, Litovchenko (Yaremchuk 19′-2ºt), Zavarov; Protasov e Dobrovolsky (Borodyuk 27′-2ºt)
Técnico: Valeriy Lobanovskyi

Trio de arbitragem: Juan Daniel Cardellino (Uruguai), auxiliado por Emilio Soriano Aladrén (Espanha) e Hernán Silva (Chile)

Gols: Marius Lăcătuş (42′-1ºt e 12′-2ºt)

__________________________________

Camarões 2×1 Romênia – Stadio San Nicola, Bari, Região de Puglia, Bari, Itália. Quinta-feira, 14 de junho de 1990
Público: 38.687

Camarões: N’Kono; Ebwelle, Onana, Kunde (Pagal 24′-2ºt), N’Dip; Tataw [c], M’Bouh, Makanaky, M’Fede; Maboang (Milla 16′-2ºt) e Omam-Biyik
Técnico: Valeri Nepomniachi (URSS)

Romênia: Lung[c]; Rednic, Andone, Gh.Popescu, Klein; Rotariu, Sabău, D.Timofte, Hagi (Dumitrescu 11′-2ºt); Lăcătuş e Răducioiu (Balint 19′-2ºt)
Técnico: Emerich Jenei

Trio de arbitragem: Hernán Silva (Chile), auxiliado por Carlos Silva Valente (Portugal) e Armando Pérez-Hoyos (Colombia)

Gols: Roger Milla (31′ – 2ºt e 41′-2ºt) e Gavril Balint (43′-2ºt)

__________________________________

Argentina 1×1 Romênia  – Stadio San Paolo, Nápoles, Região de Campânia, Nápoles, Itália. Domingo, 18 de junho de 1990
Público: 52.733

Argentina: Goycochea; Simon, Olarticochea, Serrizuela, Monzón; Batista, Burruchaga (Dezotti 16′-2ºt), Caniggia, Basualdo; Maradona [c] e Troglio (Giusti 8′-2ºt)
Técnico: Carlos Bilardo

Romênia: Lung [c]; Rednic, Andone, Gh.Popescu, Klein; Rotariu, Sabău (Mateuţ 38′-2ºt), Hagi, Lăcătuş; Lupescu e Balint (Lupu 27′-2ºt)
Técnico: Emerich Jenei

Trio de arbitragem: Carlos Silva Valente (Portugal), auxiliado por Berny Ulloa Morera (Costa Rica) e Carlo Longhi (Itália)

Gols: Pedro Monzón (18′-2ºt) e Gavril Balint (23′-2ºt)

____________________________________

Irlanda 0x0 Romênia (5×4 P.K.) – Stadio Luigi Ferraris, Gênova, Região da Ligúria, Gênova, Itália. Domingo, 25 de junho de 1990
Público: 31.818

Irlanda: Bonner; Morris, Staunton (O’Leary entre 2ºt e pro.), McCarthy [c], Moran; McGrath, Houghton, Townsend, Aldridge (Cascarino 19′-1ºt); Sheedy e Quinn
Técnico: Jack Charlton (ING)

Romênia: Lung [c]; Rednic, Andone, Gh.Popescu, Klein; Rotariu, Sabău (Timofte 6′-1ºt.ex), Hagi, Lupescu; Răducioiu (Lupu 31′-2ºt) e Balint
Técnico: Emerich Jenei

Pênaltis:
Hagi 1 – Sheedy 1
Lupu 2 – Houghton 2
Rotariu 3 – Townsend 3
Lupescu 4 – Cascarino 4
Timofte X – O’Leary 5

Trio de arbitragem: José Roberto Wright (Brasil), auxiliado por Carlos Maciel (Paraguai) e Jassim Mandi (Bahrein)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s