Hagi comemora gol contra os EUA em 1994: Ele foi o astro daquela seleção
Hagi comemora gol contra os EUA em 1994: Ele foi o astro daquela seleção (Foto: FIFA)

Por que a Romênia? Por que Craiova? Por que o futebol romeno?

Estas perguntas fazem parte da rotina de escrever n’O Craiovano. E com razão. O blog fala do futebol de um país cuja seleção não se classifica para uma Copa do Mundo desde 1998, e para uma Eurocopa desde 2008.  Fala de um futebol em que seus clubes são meros figurantes nas competições europeias. Mas fala de um futebol e uma cultura diferente e, pro bem ou pro mal, muito interessante. Sério.

Por isso, O Craiovano listou dez motivos para você começar a acompanhar e a curtir o futebol romeno. Leia e se convença!

1 – Fique mais feliz com o futebol brasileiro (ou não)
A crise que o futebol romeno vive é ainda pior que a do futebol brasileiro. Falta público nos estádios, o nível do futebol não é tão pior do que a Série A do Brasileiro como você acha que é, e as punições para times endividados ou torcidas indisciplinadas são muito rigorosas (às vezes até demais).

2 – Prato cheio pra estudantes de direito
Nas últimas cinco edições do Campeonato Romeno, QUATRO terminaram com algum tipo de decisão nos tribunais sobre rebaixamento ou vagas nas competições europeias. Boa oportunidade pra descobrir absurdos da justiça desportiva e ficar menos deprimido com o campeonato brasileiro (complementando também o motivo nº1). Além disso, há diversos casos de extinção de clubes e retornos antiéticos, como o caso Clinceni-Arges. Como diria um professor que tive na segunda fase, “dá um TCC”.

3 – Várias vagas para competições europeias
O campeão do Campeonato Romeno se classifica para uma fase anterior à de grupos na UEFA Champions League, e o vice, o terceiro, o quarto e o campeão da Copa da Romênia se classificam para a Liga Europa.

Chivu e Mutu: Dois dos melhores nos anos 2000
Chivu e Mutu: Dois dos melhores nos anos 2000 (Foto: FIFA)

4 – Futebol tradicional, com clubes que fizeram grandes campanhas na Europa
O Steaua Bucareste já participou de duas finais de Champions League. Venceu uma, em 1985-86, contra ninguém menos que o Barcelona! Além disso, já foi semi-finalista da Liga Europa (na época Copa da UEFA) em 2005-06, e venceu a Supercopa Europeia de 1986. O FC Vaslui foi um dos campeões da Copa Intertoto de 2008. O Universitatea Craiova, entre 14 participações na Liga Europa, já chegou às semifinais em 1982-83, sendo eliminado pelo Benfica no critério de gols qualificados. O Dinamo Bucareste já foi semifinalista da Champions em 1983-84, o Rapid chegou às quartas da Liga Europa de 2005-06. Então pense duas vezes antes de menosprezar “aquele time do leste europeu lá” que vai jogar com sua equipe preferida nestas competições. 🙂

5 – Conheça o ambiente que revelou Hagi, Mutu, Chivu, Popescu, Stefanescu, Belodedici, Balaci, Prunea, Raducioiu, Oblemenco, Dobrin, Dobay
O futebol romeno já revelou diversos craques para o futebol mundial. Saiba de onde eles vieram e foram ídolos antes de chegar e dar show no seu time europeu.

6 – O melhor jogador romeno dos últimos tempos está em casa
Adrian Mutu é o que o futebol romeno produziu de melhor no final dos anos 90 e começo dos 2000. Jogador importante na Fiorentina, também já passou pelo Chelsea, Internazionale e Juventus. Hoje, está no Petrolul Ploiesti, um dos melhores times do país na atualidade.

5 – Steaua contra todos, e todos contra o Steaua
O Steaua Bucareste foi campeão romeno pela 25ª vez em 2013-14. Quem vem atrás é o baleado Dinamo, com 18 conquistas. Todos querem ganhar dos ros-albastri, todo time quer tirar uma casquinha. E muitas vezes conseguem. Antes de serem bicampeões em 2012-13 e 2013-14, houve uma sequência impressionante de títulos de equipes do interior. O CFR Cluj venceu nas temporadas de 2007–082009–102011–2012, o Otelul Galati foi campeão em 2010-11 e o Unirea Urziceni em 2008-09. Se você acompanha a Champions League, sabe de que times estou falando. Na Copa da Romênia, todo ano tá sendo ano diferente. Nas últimas cinco temporadas, cinco campeões: Astra, Petrolul, Dinamo, Steaua e CFR Cluj.

6 – Torcedores apaixonados
O público pode ser pequeno em alguns jogos, mas quando os romenos querem impressionar nas arquibancadas, é melhor sair de baixo, porque eles vão com tudo. Por exemplo, olha o que o Dinamo Bucareste fez na semifinal da Copa da Romênia contra o Steaua. “Bandeirões” em “3D”. Isto é apenas uma amostra do que a romenada pode fazer nas arquibancadas.

 

Rapid e U Cluj: Tradição no futebol romeno (Foto: Libertatea.ro)
Rapid e U Cluj: Tradição no futebol romeno (Foto: Libertatea.ro)

7 – Brasil representando!
Nada menos que TRINTA E QUATRO jogadores brasileiros já passaram por clubes da primeira e segunda divisão romenas nesta temporada. Vários deles foram importantíssimos para suas equipes, como o meia Eric de Oliveira (que saiu para o Al-Ahli, da Arábia Saudita), do Pandurii, o meia Roberto Ayza, do Mioveni e os laterais-esquerdos do Petrolul e do Astra, Guilherme Sityá e Junior Morais.

8 – Primeira divisão no Top 10 Mundial
A Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS), reconhecida pela FIFA, classificou a Liga I como o décimo campeonato nacional mais forte do mundo em 2013. Apenas os campeonatos espanhol, inglês, alemão, italiano, brasileiro, argentino, francês, russo e colombiano estão à frente. O Romenão está na frente de outros fortes campeonatos, como os de Portugal, Chile, Bélgica, Holanda, Turquia, México e Ucrânia. É o primeiro lugar entre os países que não irão para a Copa do Mundo.

9 – Variedade de clubes de tradição e em ascensão
Apesar do oligopólio entre Steaua e Dinamo (que juntos possuem 43 títulos da Liga e 34 da Copa) , há vários clubes tradicionais que já fizeram performances importantes a nível nacional. O Petrolul Ploiesti tem brigado frequentemente pelas primeiras posições dos torneios, e já possui quatro títulos da Liga e três da Copa. Clubes médios e tradicionais, como o Astra Giurgiu e o CFR Cluj, também estão entre as equipes que vem alcançando resultados expressivos nacionalmente e ingressando nas competições nacionais. Entre os pequenos, o Pandurii Târgu Jiu foi vice-campeão da Liga I em 2012-13 e disputou a fase de grupos da Liga Europa. Outros clubes grandes e médios pararam no tempo e vem regredindo, mas ainda são muito tradicionais, como o Universitatea Cluj e o Rapid Bucareste. A segunda divisão também tem clubes com uma história vitoriosa, como o Gloria Bistrita e o CSM Râmnicu Vâlcea. Outros, como o Farul Constanta e o UTA Arad (que tem seis títulos da Liga I), são muito importantes na história do futebol romeno, mas infelizmente já estão rebaixados para a terceira divisão. Além, claro, do FC Universitatea Craiova, que está licenciado.

10 – A Nationala
O futebol romeno tem uma das seleções mais carismáticas. O time nacional já se classificou para sete Copas do Mundo (1930, 1934, 1938, 1970, 1990, 1994 e 1998) e teve um desempenho marcante na Copa do Mundo de 1994, chegando ao 6º lugar e eliminando a Argentina nas oitavas-de-final. Hagi, Popescu e Raducioiu eram apenas algumas das estrelas daquele grande time, que em 1998 chegou às oitavas. Com o inconfundível uniforme amarelo e vermelho, a Nationala está sempre aprontando alguma surpresa sobre grandes seleções. Como na Euro 2008, quando complicou a vida da Itália empatando em 1×1, e na Euro 2000, quando se classificou para as quartas-de-final após uma vitória heroica por 3×2 sobre a Inglaterra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s