România Mondiala: 1934 e as primeiras eliminatórias

A Romênia de 1934 teve uma classificação conturbada para a Copa
A Romênia de 1934 teve uma classificação conturbada para a Copa

Diferente de 1930, quando não havia muitos países interessados em participar da Copa do Mundo e apenas 13 equipes se inscreveram, a edição de 1934 teve 32 seleções interessadas a disputar o mundial na Itália fascista de Benito Mussolini, devido ao sucesso no Uruguai. Então, a FIFA precisou reduzir este número para 16 times com uma etapa preliminar.

Foi um torneio praticamente europeu, já que 12 equipes do velho continente conseguiriam vaga. Apenas três seleções da América chegaram ao torneio, e uma africana, a do Egito, que conseguiu a vaga vencendo a Palestina em confronto de ida e volta. Havia também a Turquia no grupo, mas desistiu antes do início das eliminatórias. Por outro lado, poucas equipes da América se inscreveram, em resposta ao “boicote” europeu feito na Copa de 1930. O campeão Uruguai, por exemplo, não se dispôs a ir à Itália.

A Nationala vinha de um 8º lugar na Copa anterior, e nas eliminatórias, jogou no grupo 6, junto com a Suíça e a Iugoslávia. Desde aqueles tempos, a desorganização já fazia parte da Federação Romena de Futebol e do esporte do país. Em 29 de outubro de 1933, A Romênia foi à Berna enfrentar a Suíça e empatou em 2×2. Porém, a FIFA aplicou W.O. e uma vitória de 2×0 (placar do W.O. na época) a favor dos suíços. Isto aconteceu porque A FIFA havia estabelecido uma regra em 1931 que dizia que um jogador não poderia atuar por duas seleções diferentes dentro de um intervalo de três anos. E foi o que aconteceu com Iuliu “Giussy” Baratky, que até junho de 1933 jogava pela Hungria e em outubro do mesmo ano estava entre os tricolori. Apesar do erro na estreia, 20 mil pessoas assistiram à Romênia vencer a Iugoslávia em Bucareste por 2×1. Estava garantida a vaga na Copa do Mundo de 1934, com o segundo lugar do Grupo 6.

O formato da Copa do Mundo de 1934 era muito simples: mata-mata em jogo único. Em caso de empate, seria feita uma partida extra. E logo de cara, a Romênia ficou de fora. Em 27 de maio, na cidade de Trieste, a Nationala foi eliminada pela Tchecoslováquia, que viria a ser a vice-campeã daquela edição do torneio. O atacante Stefan Dobay, do Ripensia Timisoara, abriu o placar aos 12 minutos do primeiro tempo. Mas na segunda etapa, os tchecoslovacos conseguiram a virada. Antonín Puc empatou aos três minutos. e aos 21, Oldrich Nejedly marcou o gol da derrota romena.

Naquela Copa, a Romênia teve dois técnicos: Costel Radulescu, o treinador da Copa de 1930, e o austríaco Josef Uridil, o único estrangeiro a treinar a seleção romena até hoje. Foi a segunda vez que dois técnicos assumiam a mesma seleção. Francisco Olazar e Juan José Tramutola comandaram a Argentina em 1930.

O oeste romeno dominava o futebol nacional. A outra potência era ao sul, na capital Bucareste, especialmente com o Venus e o Juventus (atual Petrolul Ploiesti). Mas exatamente metade do elenco (11 jogadores) era de clubes de Timisoara. Só o Ripensia levou oito jogadores à Copa de 1934. Seis eram de clubes de Oradea, cidade no noroeste do país com forte influência magiar (tanto que nos anos 30, vários jogadores romenos possuiam nomes e ascendência húngaros e nasceram na época em que Oradea fazia parte do Império Áustro-Húngaro).

Goleiros:
Vilmos Zombori – Ripensia Timisoara
Stanislau Konrad – CA Timisoara
Adalbert Püllöck – Crisana Oradea
Defensores:
Gheorghe Albu – Venus Bucareste
Rudolf Bürger – Ripensia Timisoara
Alexandru Cuedan – Rapid Bucareste
Lazar Sfera – Universitatea Cluj
Emerich Vogl – Juventus Bucareste
Meias:
Vasile Deheleanu – Ripensia Timisoara
Gusztáv Juhász – CA Oradea
Rudolf Kotormány – Ripensia Timisoara
Jószef Moravetz – RGM Timisoara
Károly Weichelt – CA Oradea
Atacantes:
Gratian Sepi – Universitatea Cluj
Sándor Schwartz – Ripensia Timisoara
Nicolae Kovács – CA Oradea
István Klimek – ILSA Timisoara
Stefan Dobay – Ripensia Timisoara
Gheorghe Ciolac – Ripensia Timisoara
Iuliu Bodola – CA Oradea
Silviu Bendea – Ripensia Timisoara
Iuliu Barátky – Crisana Oradea

Dez clubes de quatro cidades (Timisoara, Oradea, Bucareste e Cluj) cederam jogadores a seleção: Ripensia Timisoara, CA Timisoara, Crisana Oradea, Venus Bucareste, Rapid Bucareste, Universitatea Cluj, Juventus Bucareste, CA Oradea, RGM Timisoara, Ilsa Timisoara. Destes, quatro ainda existem: Ripensia (na Liga V), Rapid (na Liga II), Juventus (atual Petrolul na Liga I) e U Cluj (na Liga I).

Como na última edição da România Mondiala, confira abaixo um vídeo em romeno com algumas fotos, citações e vídeos daquela Copa:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s