U Cluj é condenado por escalação irregular e perde partida já jogada por WO

Martac é o pivô do conflito  U Cluj x Concordia (foto: Stiri de Sport
Martac é o pivô do conflito U Cluj x Concordia (foto: Stiri de Sport

O Universitatea Cluj empatou em 1×1 a partida contra o Concordia Chiajna válida pela 22ª rodada da Liga I, em 8 de março. Mas, por enquanto, o resultado da partida é uma derrota por WO (3×0), devido a uma decisão da Comissão de Recursos da Federação Romena de Futebol condenando o clube pela escalação irregular do lateral-direito Marius Martac na partida. Os studentii ainda podem recorrer da decisão dentro de 21 dias junto ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), uma instância internacional.

Marius Martac  foi emprestado do Otelul Larisa ao Corona Brasov, num contrato válido de 7 de agosto de 2013 a 30 de junho deste ano e, ainda sob contrato com o Corona Brasov, se transferiu para o Universitatea Cluj. A diretoria do clube afirma que havia recebido uma confirmação da Liga Profissional de Futebol de que o contrato de empréstimo de Martac havia sido rescindido com o Corona  em 29 de janeiro. Segundo o regulamento de transferências, um jogador de empréstimo rescindido retorna a seu clube, ou pode assinar um novo contrato de empréstimo com outra equipe, com expiração na mesma data do primeiro empréstimo. Porém, a FRF julgou que Martac estava com situação irregular, jogando por um clube quando tinha contrato com outro, e punindo o U Cluj com a derrota do jogo por WO. A denúncia havia sido feita pelo próprio Concordia Chiajna na Câmara Nacional de Solução de Litígios (CNSL) da FRF. O clube não ganhou a causa e assim o caso foi para a Comissão de Recursos, que decidiu pela punição ao Universitatea Cluj.

Com a derrota, o U Cluj se manteve na 12ª posição, mas agora com 32 pontos em vez de 33, e a apenas dois pontos do primeiro clube dentro da zona de rebaixamento, o Brasov. O Concordia se mantém na décima para a 9ª posição, mas agora com os mesmos 36 pontos do 9º colocado, o Gaz Metan Medias.

Concordia já é conhecido nos recorrentes tapetões romenos

O Concordia Chiajna já ganhou fama por casos resolvidos na justiça desportiva. Em 2012-13, o Rapid Bucareste passava por uma grave crise financeira e, apesar de ter acabado a Liga I em 8º lugar, não tinha dinheiro suficiente para receber a licença financeira necessária para disputar o campeonato na temporada seguinte. Assim, acabou sendo rebaixado e o Concordia, que havi2x1a terminado em 15º, com melhor desempenho dentre quatro clubes da zona de rebaixamento, se safou. O caso foi levado ao TAS e foi feito até um confronto de ida e volta entre Rapid e Concordia imposto pela FRF para decidir quem continuaria na primeira divisão. O Rapid venceu a partida, realizada em 13 de julho de 2013, vencendo por 2×1 no Estádio Dinamo (do Dinamo Bucareste). O TAS validou o jogo, e o Rapid se manteve na primeira divisão. Disputou duas rodadas da Liga I 2013-14, mas em 2 de agosto, o Concordia entrou com um recurso no TAS e reverteu a situação. Caía o Rapid, que atualmente busca o retorno à Liga I através da Série 1 da Liga II.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s